Pesquisar

Setor de saúde e beleza estima crescimento de mais de R$ 169 bilhões em vendas até 2027



Empresários comemoram os números e investem em expansão e novas tecnologias para absorver os clientes

Os números comprovam: o brasileiro é um povo vaidoso e investe em produtos e serviços de beleza. Segundo pesquisa da Flywheel, o Brasil é líder no segmento de saúde e beleza na América Latina, representando 41% das vendas no setor, com projeção de alcançar a marca de US$ 32 bilhões, cerca de R$ 169 bilhões em vendas até 2027.

Nos primeiros sete meses de 2023, o setor ultrapassou a marca de R$ 2,3 bilhões em vendas, um aumento de 14% em relação ao ano anterior, segundo levantamento da Circana, empresa que analisa o comportamento do consumidor.

Vaidosa e muito atenta com a saúde, Adriana Furlanes, executiva de negócios na área de RH, é um exemplo de consumidor que investe no autocuidado. Ela utiliza, mensalmente, 10% de seus rendimentos com produtos e serviços de estética. 

Adriana adquiriu o hábito de consumir serviços de estética de uns anos para cá, quando percebeu as marcas do envelhecimento. Ela costuma fazer mensalmente drenagem modeladora, botox, reposição de colágeno e limpeza de pele, além de fazer as unhas todas as semanas.  

“De uns anos para cá, eu venho investindo mais em mim, no autocuidado. Tenho uma médica que cuida do meu rosto e, se surge alguma novidade no setor, ela me apresenta e eu experimento. Este é um investimento que precisamos fazer sempre, não dá para fazer só uma vez e não voltar mais, tem que fazer a manutenção, uma reposição. Foi-se o tempo em que as mulheres chegavam aos 50 anos, por exemplo, sem terem cuidado de si mesmas. Agora, nós estamos prontas para viver”, ressalta Adriana.

Diante deste cenário, o mercado se prepara para absorver esta tendência de crescimento. A esmalteria Bellamai, apenas em 2023, registrou um crescimento de 16% no faturamento e já está programando a expansão da rede, com a inauguração de mais uma unidade.

“Pretendemos ampliar os investimentos nas esmalterias, realizando melhorias na infraestrutura, e temos planos de inaugurar mais uma unidade, dessa vez em Indaiatuba”, afirma Aline Mai, proprietária da esmalteria. 

A empresária afirma que a maior parte das clientes da esmalteria está na faixa etária dos 24 aos 40 anos, e que elas procuram serviços práticos e duradouros para contribuir com o autocuidado. 

“Atualmente, a procura tem aumentado bastante por serviços de alongamento de unhas e extensão de cílios, pois são práticos e têm alta durabilidade. Eles têm sido o carro-chefe no aumento do consumo da estética”, comenta Aline Mai.

Para a empresária, o período da pandemia acabou estimulando o autocuidado das mulheres, contribuindo para o crescimento do setor.  “A pandemia também tem influência sobre os resultados que vemos hoje, pois foi um período em que muitas mulheres desenvolveram o momento do autocuidado”.

Lisa Tavares, empreendedora do ramo de estética, também observou este movimento e comemora o aquecimento do setor. “O mercado está aquecido e estamos preparadas para absorver este movimento. Apenas nestes primeiros meses do ano, já observamos um crescimento de 10% na procura por nossos serviços”, comemora.

Aliando alta tecnologia com procedimentos estéticos, Lisa investiu em equipamentos modernos e de última geração para atrair clientes, além de investir em conhecimento para aplicar novas tecnologias naqueles que procuram os serviços. 

“Neste ano, observamos um crescimento na procura por laser, temos uma tecnologia nova no mercado que proporciona clareamento de manchas, aumenta produção de colágeno, diminui os poros, cicatrizes, entre outros benefícios. Estamos investindo em conhecimento para aplicarmos a tecnologia para novas finalidades, alcançando ótimos resultados. O setor está aquecido e nos ajuda a proporcionar mais emprego e girar a economia da região”, finaliza.


Leia Também