Pesquisar

Crânio Descoberto na Serra do Japi é de um Homem, Indícios sugerem que uso foi para Rituais



A Superintendência da Polícia Técnico-Científica de São Paulo concluiu recentemente a análise do crânio encontrado no bairro Santa Clara, na Fazenda Vigorelli, em Jundiaí, em 2 de março deste ano. Inicialmente, acreditava-se que o crânio pertencia a uma criança, mas o Instituto Médico Legal (IML) determinou que se tratava de um adulto, sem identificar o sexo.

De acordo com o laudo nº 69.425/2024 do Instituto de Antropologia da Superintendência da Polícia Científica, os médicos legistas Valdisnei Alfredo Rodrigues e Paulo Sérgio Tieppo Alves, junto com suas equipes, trabalharam intensamente para esclarecer dúvidas levantadas pelo delegado de Jundiaí, Alexander Paula Silva. Entre as questões estavam a causa da morte, possíveis sinais de violência ou envenenamento, além da identificação do sexo e idade da vítima.

Após uma análise detalhada, os peritos concluíram que o crânio é de um homem, com base nas características cranianas. O IML de Jundiaí já havia sugerido que a vítima era de baixa estatura devido às dimensões do crânio.

Não foram detectados sinais de violência que pudessem determinar a causa da morte. A ausência de restos orgânicos, devido ao estado de esqueletização, impediu a identificação precisa do motivo do óbito. Estima-se que a vítima tinha cerca de 30 anos. Até o momento, nenhuma família foi localizada para reclamar o crânio.


Indícios de Rituais


Durante a investigação, surgiram indícios de que o crânio poderia ter sido colocado no local como parte de rituais de "igreja negra". A área é conhecida por rituais maliciosos. A testemunha que encontrou o crânio afirmou não ter visto nenhum veículo ou grupo suspeito na região na data do achado.

O crânio está atualmente sob os cuidados da equipe de Antropologia da Superintendência, em São Paulo.


Corpos Não Identificados em Jundiaí


As geladeiras do Instituto Médico Legal (IML) de Jundiaí, localizadas no anexo do Cemitério do Montenegro, estão atualmente vazias. Diariamente, cerca de 10 corpos passam pelo local, a maioria para Verificação de Óbito (causas naturais).

Recentemente, um corpo não identificado foi encontrado entre os bairros Jardim da Fonte e Jardim São Camilo, em estado avançado de decomposição. O homem, de aproximadamente 1,70m de altura e pele parda, foi enterrado como indigente, pois nenhum familiar foi localizado. A identificação por impressões digitais foi impossível devido ao estado de putrefação.


Conclusão


A análise do crânio encontrado na Serra do Japi revelou que pertencia a um homem, provavelmente com cerca de 30 anos. A causa da morte permanece indeterminada, sem sinais de violência encontrados. A investigação segue sem uma resolução definitiva sobre os detalhes do óbito.

Leia Também