Esmeralda, a Cigana das Redes Sociais, é Presa em Conexão com a Morte do Empresário Luiz Marcelo Antônio Ormond

 Suyane Breschak, uma cigana conhecida como Esmeralda, que tem uma grande presença nas redes sociais com 305 mil seguidores no Instagram, foi presa em Cabo Frio, na Região dos Lagos, na terça-feira (28). Ela é conhecida por suas consultas espirituais, que podem custar até R$ 3 mil. Sua prisão está relacionada à morte do empresário Luiz Marcelo Antônio Ormond.



Luiz Marcelo foi encontrado morto em sua residência no Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio, em 20 de maio, com o corpo já em estado avançado de decomposição. A Polícia Civil está investigando a possibilidade de ele ter sido morto por envenenamento através de um brigadeirão. Júlia Andrade Cathermol Pimenta, namorada de Luiz Marcelo, é considerada a principal suspeita e está foragida.

De acordo com as investigações, Júlia e Suyane se conhecem há 12 anos e Suyane já realizou diversos “trabalhos” espirituais para Júlia. Suyane revelou em depoimento que Júlia tinha uma dívida de R$ 600 mil com ela, que estava sendo paga em parcelas mensais de R$ 5 mil ao longo de cinco anos.

A polícia chegou até Suyane após a prisão de um homem em Cabo Frio, com quem o carro de Luiz Marcelo foi encontrado. O veículo teria sido usado para abater R$ 75 mil da dívida entre Júlia e Suyane. Além do carro, dois computadores e um celular foram encontrados.

O homem preso confessou conhecer Suyane e o marido de Suyane também compareceu à delegacia, admitindo conhecimento sobre o carro. A polícia afirma que Suyane tentou vender joias e outros objetos de valor pertencentes a Luiz Marcelo que foram entregues por Júlia.

Segundo familiares, Júlia registrou em cartório, dois dias antes da descoberta do corpo de Luiz Marcelo, uma declaração escrita à mão afirmando que o carro era de sua propriedade.

Luiz Marcelo, que era herdeiro e possuía um patrimônio principalmente em imóveis, conhecia Júlia há pelo menos 11 anos. Eles tinham um relacionamento de idas e vindas e haviam retomado o relacionamento nos últimos meses, morando juntos no apartamento do Engenho de Dentro.

O corpo de Luiz Marcelo foi encontrado no sofá da sala, ao lado de cartelas de remédio. Dois ventiladores estavam ligados na cena do crime, apontando para a janela, o que os investigadores acreditam ser uma tentativa de dissipar o odor do cadáver. O laudo do Instituto Médico-Legal indicou que ele morreu entre 3 a 6 dias antes de seu corpo ser encontrado.

Postar um comentário

0 Comentários

Leia também