Pesquisar

Tentativa de Sequestro Assusta Moradora do Guacuri em Ponto de Ônibus



Na manhã desta quarta-feira (10), por volta das 9h, uma moradora da rua Colibri, localizada no bairro Guacuri, viveu momentos de pânico ao ser alvo de uma tentativa de sequestro enquanto aguardava o ônibus na avenida Isac de Mesquita. A vítima, que seguia em direção à região central da cidade para trabalhar em uma escola de idiomas, relatou os detalhes assustadores do incidente.

De acordo com relatos em áudio enviados pela própria vítima ao seu esposo, uma dupla a abordou em um Fiat Uno, que se aproximou do ponto de ônibus vindo do sentido Jacaré, localizado em Cabreúva. A rua estava deserta no momento da abordagem, sem a presença de outros transeuntes. A vítima estava distraída, ouvindo música enquanto seu cachorro, carinhosamente chamado de Pipoca, brincava ao redor. Foi quando um dos agressores desceu do veículo e tentou forçá-la a entrar no banco traseiro do carro.

"A rua estava vazia, não tinha ninguém, eles estavam vindo do Jacaré, sentido Itupeva, um senhor dirigindo o outro no passageiro. Eu estava escutando música, o Pipoca (cachorro que pertence a ela) estava ralando a grama, como ele sempre faz, quando um deles desceu do carro, machucou meu braço tentando me colocar no banco de trás do carro", relatou a moradora, ainda abalada pelo ocorrido.

Durante o ataque, o fiel companheiro de quatro patas, Pipoca, agiu em defesa de sua dona e mordeu um dos agressores, o que resultou em um ato desesperado por parte do criminoso, que chegou a chutar o animal. A sorte sorriu para a vítima quando um outro veículo, que seguia no sentido oposto em direção a Itupeva, notou a situação e seus ocupantes desceram para prestar ajuda.

"A sorte é que passou outro carro sentido Itupeva, viu o que estava acontecendo e desceram para me ajudar", relatou a vítima, demonstrando sua gratidão pela intervenção oportuna.

Com a chegada dos auxiliares, os agressores decidiram fugir, sendo perseguidos brevemente pelos ocupantes do veículo que prestou socorro. No entanto, os criminosos conseguiram escapar.

Apesar do trauma causado pelo incidente e dos ferimentos em seu braço, a moradora não se deixou abalar e seguiu para o trabalho. Ela e seu marido pretendem registrar um boletim de ocorrência para que as autoridades investiguem o ataque e tomem medidas cabíveis para garantir a segurança da comunidade.

O episódio serve como um alerta para a necessidade de estar sempre vigilante e atento aos arredores, mesmo em locais aparentemente seguros. A solidariedade demonstrada pelos transeuntes que prestaram auxílio é um lembrete do poder da união e da solidariedade em momentos de perigo. Fonte: Olhar Itupeva

Notícias Relacionadas