Pesquisar

Jundiaí terá 300 casas populares por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida

 


Jundiaí está se preparando para um renascimento na habitação social. Com o apoio do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), a cidade tem planos de construir 300 novas unidades habitacionais. A chamada oficial para empresas interessadas em participar do projeto deve ser lançada até o final desta semana.

Os novos empreendimentos serão situados em Cravos, na região do Fazenda Grande, com 140 unidades, e no Jardim São Camilo, com 160 unidades. A empresa construtora será selecionada e seguirá o processo de financiamento da Caixa Econômica Federal. Segundo o Superintendente da Fundação Municipal de Ação Social (Fumas), José Galvão Braga Campos, o Tico, “Na sexta deve sair o chamamento, para que as empresas se apresentem. Saindo a empresa, tem o trâmite da Caixa, que disponibiliza o dinheiro. Nós entramos com a área, que não é barato na cidade.”

Esses projetos têm como objetivo atender à população de baixa renda que sonha com a casa própria, mas depende de programas habitacionais. O programa Minha Casa, Minha Vida, por exemplo, é destinado a pessoas que ganham de 0 a 3 salários mínimos.

A retomada do MCMV é um passo significativo para atender à demanda crescente por moradia na cidade, especialmente após a pandemia. Atualmente, a cidade oferece um auxílio aluguel de R$ 850 por mês para 220 famílias, que terão prioridade nos novos empreendimentos, juntamente com pessoas com deficiência e policiais militares.

Além do MCMV, Jundiaí também tem se esforçado na regularização e reforma de imóveis para atender parte da demanda. Em junho, a cidade planeja entregar 370 matrículas na fase II do Novo Horizonte, e há planos para a regularização fundiária de mais 300 unidades. Além disso, o projeto Viver Melhor tem como objetivo reformar 400 moradias, das quais 150 já foram entregues.


 


Com informações do Jornal de Jundiaí

Notícias Relacionadas