Pesquisar

Baldur's Gate III irá superar Zelda e ganhar o GOTY 2023?



Com a proximidade do anúncio do "Game of the Year" de 2023, um debate fervilhante toma conta da indústria de jogos. Entre os fortes candidatos, dois títulos se destacam: "Baldur's Gate III", da Larian Studios, e "Zelda: Tears of the Kingdom", da Nintendo. Ambos são obras-primas à sua maneira, mas existem razões sólidas para acreditar que Baldur's Gate III poderia surpreendentemente superar Zelda e levar o prêmio.

Para começar, Baldur's Gate III recebeu aclamação universal por sua fidelidade ao RPG de mesa, complexidade narrativa e opções quase infinitas que oferece ao jogador. O jogo é uma celebração da liberdade de escolha, permitindo inúmeras rotas para resolver conflitos e avançar na história. Isso não é apenas uma realização técnica, mas também uma vitória para o storytelling interativo.

Os críticos também elogiaram o nível de detalhe no jogo, desde a escrita até a dublagem e animações. A riqueza do universo de Dungeons & Dragons foi meticulosamente trazida à vida, com regras da quinta edição fielmente implementadas. É verdade que tal complexidade pode ser um pouco assustadora para quem não está familiarizado com o jogo de mesa, mas para muitos, essa profundidade é exatamente o que torna Baldur's Gate III notável.



Contrastando isso com Zelda: Tears of the Kingdom, temos um jogo que também é tecnicamente competente e bem recebido. No entanto, o título da Nintendo é em muitos aspectos uma expansão das ideias introduzidas em seu predecessor, "Breath of the Wild". Enquanto Tears of the Kingdom expande o mundo aberto e oferece novas mecânicas, como ilhas flutuantes, ele não rompe de maneira significativa com o que já foi feito.

Além disso, o aspecto da acessibilidade não deve ser desconsiderado. Zelda, sendo uma franquia mais voltada para o grande público, poderia ter uma vantagem na corrida pelo GOTY simplesmente por ser mais "amigável". Mas seria justo usar a acessibilidade como um fator determinante? Isso de fato penalizaria jogos como Baldur's Gate III, que embora possam ser mais nichados, oferecem uma experiência mais rica e complexa.

Outro ponto que vale a pena mencionar é o modo cooperativo de Baldur's Gate III, que adiciona uma nova dimensão ao gameplay e à narrativa, permitindo que os jogadores compartilhem essa jornada épica. Isso eleva o jogo a um novo patamar, tornando-o não apenas uma aventura solo, mas uma experiência compartilhada.

No final das contas, a escolha de qual jogo merece o GOTY será sempre subjetiva e influenciada por uma variedade de fatores. No entanto, com sua ousadia em design, liberdade de escolha e atenção meticulosa aos detalhes, Baldur's Gate III faz um forte argumento para ser mais do que apenas um concorrente, mas sim o merecedor do título de "Game of the Year" de 2023.

Notícias Relacionadas