Após desastre, empresa ignora alertas e Planeja Nova Expedição ao local aonde afundou o Titanic (E o Submarino)

Compartilhe!


Pouco mais de dois meses após o trágico incidente com o veículo subaquático Titan, que resultou na morte de todos os cinco tripulantes a bordo devido a um colapso súbito, uma nova missão está sendo elaborada para visitar o local onde o Titanic afundou. A operação está sendo agendada para maio de 2024 e é encabeçada pela RMS Titanic Inc (RMST), a entidade responsável pelos direitos de resgate dos destroços da embarcação histórica.

Segundo documentos judiciais recentemente divulgados, o principal objetivo da expedição é a recuperação de itens do navio, incluindo fragmentos de sua estrutura. O Titanic, que afundou em 1912 durante uma travessia transatlântica entre o Reino Unido e os Estados Unidos, repousa no fundo do Oceano Atlântico, perto da costa canadense.

O planejamento dessa viagem de resgate tem enfrentado oposição do governo dos Estados Unidos. Autoridades americanas manifestaram preocupação de que o sítio do naufrágio, onde mais de 1.500 pessoas perderam a vida, não está sendo tratado como um memorial digno, em conformidade com um acordo estabelecido com o Reino Unido. Há também receios de que a operação possa perturbar quaisquer restos humanos ainda presentes.

A RMST declarou que a expedição incluirá a captura de imagens abrangentes do local. A empresa também mencionou a possibilidade de recolher objetos específicos, como os da sala Marconi, desde que esses itens não estejam integrados à estrutura dos destroços. Contudo, a RMST afirmou que não tem intenções de desmantelar ou cortar partes da embarcação submersa.

Esta notícia surge após o dramático desenlace do submersível Titan da OceanGate. O veículo sofreu um colapso catastrófico perto do Titanic, levando à morte de cinco pessoas, incluindo o magnata britânico Hamish Harding e o CEO da OceanGate, Stockton Rush. Uma simulação revelou que o colapso do Titan aconteceu em uma fração de segundo, sugerindo que os tripulantes provavelmente não sofreram.

Postar um comentário

0 Comentários

Notícias Relacionadas