Pesquisar

Estudantes visitam o Solar do Barão em ação do Novembro Negro

 A Assessoria de Políticas para Igualdade Racial, do Núcleo de articulação de Políticas Públicas (NAPP) da Unidade de Gestão da Casa Civil (UGCC), junto com o departamento de Museu da Unidade de Gestão de Cultura (UGC), realizou no Museu Solar do Barão, na segunda-feira (04), encontro com os alunos da Escola Estadual Deolinda Copelli. O objetivo do encontro foi levar conhecimento para os alunos sobre a história da população negra jundiaiense, através dos documentos oficiais do Arquivo Histórico, que foram apresentados aos participantes.

“Nossa escola já vem realizando trabalhos sobre a questão anti-racista, junto com o grêmio estudantil e a comissão de direitos humanos. Para nós a apresentação de hoje foi muito importante, porque levaremos as informações para o restante da escola”, diz a presidente do grêmio estudantil, Júlia Oliveira Gomes.

De acordo com o gestor da Unidade de Gestão da Casa Civil (UGCC), Gustavo Maryssael, as atividades elencadas para o mês ressaltam aspectos diversos da cultura negra em Jundiaí. “A construção do calendário de atividades foi feita com a participação dos integrantes e representantes da comunidade negra de Jundiaí, valorizando a economia, a cultura e a história para o município”, comenta.

Estudantes da EE Deolinda Copelli participaram de encontro no Museu Solar do Barão

“É extremamente importante que a população negra jundiaiense conheça sua história. Por isso, muitos outros encontros como este acontecerão em parceria com as escolas do Estado, pois a educação deve ser prioridade” comenta o assessor de Políticas para Igualdade Racial, Jensen Silva.

Apesar da apresentação ter como convidados os alunos da Escola Estadual, também foi aberta ao público, assim como todas as ações do Novembro Negro.

“Existem mais duas ações envolvendo o arquivo histórico municipal, dentro do calendário do Novembro Negro. O departamento de museu permanece à disposição, para que hajam mais ações como esta, durante todos os meses”, relata o diretor do departamento de museu, Paulo Vicentini.

(Fonte/Imagem: Prefeitura de Jundiaí)

!-->