Pesquisar

Censo 2022: quais perguntas podem e não podem ser feitas?

 Com o prazo de coleta do Censo 2022 estendido até dezembro, os recenseadores do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) estão nas ruas. 

Como saber qual será o formulário?
O IBGE aplica dois tipos de questionário — o básico ou o ampliado (veja na pergunta abaixo as características de cada um). A maior parte das pesquisas feitas até 1º de novembro, data do balanço mais recente, indica que 88,4% (42.595.922 casas) responderam ao questionário básico e 11,6% (5.560.298 casas) ao ampliado.

O tipo de questionário aparece para o recenseador na hora da coleta quando a pesquisa é iniciada no DMC (Dispositivo Móvel de Coleta) — um aparelho eletrônico do governo que registra as respostas no sistema. Sendo assim, não tem como saber qual será o questionário que será aplicado antes do início da coleta de dados.

Quais perguntas são feitas?
O questionário básico tem 26 perguntas sobre identidade, características do domicílio e a renda do responsável. Ele leva cerca de 5 minutos para ser concluído. O questionário ampliado tem 77 perguntas, que levam cerca de 16 minutos para serem respondidas.

Que Perguntas São Feitas pelo IBGE no Censo? Pode passar CPF?
As perguntas são mais detalhadas, como: quantos moram ali e quem são (sexo, idade, cor ou raça)? O domicílio possui coleta de lixo? Qual o tipo de esgotamento sanitário? É próprio ou alugado? Quantos cômodos, banheiros e dormitórios têm? Há ainda uma pergunta sobre educação: sabe ler ou escrever? No ampliado, além das perguntas contidas no básico, os 11% dos domicílios sorteados também têm que responder sobre trabalho, renda, religião ou culto, deficiências físicas ou psicológicas, migração interna ou internacional, deslocamento para o trabalho e para escolha, rendimento e nupcialidade.

Quem precisa responder?
Basta que um morador por endereço de domicílio responda ao formulário da casa. De acordo com o IBGE, qualquer morador acima de 12 anos é capaz de dar as informações ao recenseador em nome de todos os demais.

Que documentos o Censo pode pedir?
O recenseador irá pedir seu nome, telefone, e-mail e CPF. Vale ressaltar que todas as informações coletadas são confidenciais, protegidas por sigilo e usadas exclusivamente para fins estatísticos, conforme estabelece a legislação pertinente: Lei nº 5.534/68, Lei nº 5.878/73 e o Decreto nº 73.177/73.

Como saber se é mesmo o Censo e não golpe?
O papel do recenseador é coletar as informações fornecida pelos moradores. Durante a coleta, em nenhum momento deve haver fiscalização ou julgamento relacionado às respostas das pessoas.

Que perguntas são feitas pelo IBGE no Censo? Pode passar CPF?
A aplicação do formulário deve ser objetiva e técnica, e não pode ser feita nenhuma outra atividade durante a coleta de dados, como venda de produtos, propaganda política e perguntas fora do questionário. Vale reforçar que o IBGE não pede informações cadastrais e nem bancárias nas pesquisas. Nunca compartilhe suas senhas e número de cartões.

Como identificar o recenseador?
O trabalhador que coleta as informações do Censo pode ser identificado pelo uso do uniforme — que tem colete, bolsa e boné azul com a logomarca do IBGE em amarelo. Eles também usam um crachá com o nome, número da matrícula e do documento de identidade. Neste ano, o crachá tem um QR-Code para ajudar na identificação. Para saber se é mesmo um recenseador, basta você aproximar o celular do código, com a câmera do celular, e logo você será direcionado a um link em que poderá digitar os dados que constam no crachá e comprovar se ele trabalha no IBGE.

(Fonte / Imagem: UOL Notícias)

!-->