Pesquisar

AFPESP celebra 91 anos de defesa e serviços ao funcionalismo público



A Associação dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo (AFPESP), que congrega servidores da União, estados e municípios atuantes no território paulista, foi fundada em 1931, completando 91 anos em 5 de novembro. Em sua trajetória, sempre se pautou pela defesa da categoria e de seus direitos e desenvolveu uma grande estrutura de atendimento, turismo, entretenimento, saúde, bem-estar e serviços. Com cerca de 240 mil associados, é a maior entidade do gênero na América Latina.

 

“Estamos sempre muito próximos de nossos associados”, enfatiza Artur Marques, presidente da entidade. Ele lembra que a AFPESP tem hoje ampla infraestrutura, oferecendo atendimento de alto nível, em sua Sede Social em São Paulo e nas 19 Unidades Regionais localizadas nos principais polos da Região Metropolitana, Interior e Litoral paulista. “Prestamos serviços voltados à promoção da qualidade da vida nas áreas de esporte, lazer, recreação, cultura, saúde e educação”, frisa. As 22 Unidades de Lazer, a Unidade Capital e o Clube de Vinhedo proporcionam entretenimento e hospedagem em estâncias turísticas e balneárias de São Paulo e Minas Gerais.
 

As Unidades Regionais de Atendimento, que facilitam o acesso dos associados aos serviços da AFPESP, são mantidas em 19 cidades: Araçatuba, Araraquara, Bauru, Botucatu, Bragança Paulista, Campinas, Franca, Guarulhos, Marília, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São José dos Campos, São José do Rio Preto, Sorocaba e Taubaté.
 

A entidade também organiza excursões nacionais e internacionais e mantém benefícios, por meio de parcerias, como os convênios farmacêuticos, que permitem descontos em medicamentos e itens de perfumaria. Também há convênios com prestadores de serviços nas áreas de saúde, esportes, cultura e lazer, visando disponibilizar preços mais atrativos.
 

Na Sede Social, na região central da capital paulista, são prestados os seguintes serviços: Ambulatório Médico, Biblioteca, Central de Relacionamento, Centro de Beleza, Coordenadoria de Assistência à Saúde, Coordenadoria de Educação e Cultura, Coordenadoria de Esportes, Coordenadoria de Meio Ambiente, Coordenadoria de Turismo, Coordenadoria Social, Estúdio de Pilates, Filmoteca, Ouvidoria e restaurantes. No local está instalada também a Galeria Jorge Mancini, que possui o maior acervo da Revolução Constitucionalista de 1932, que contou com o engajamento da entidade.
 

Agora, por ocasião do aniversário de 91 anos, está sendo lançada linha do tempo da AFPESP, contando sua história. Também será reposicionada a área de notícias no site da entidade e lançada enquete sobre o jornal Folha do Servidor. Outra ação comemorativa: Gympass, solução de bem-estar com acesso a academias, estúdios e serviços de saúde, parceiro da associação, lançou a promoção “90+1”, com premiação especial para associados. Para concorrer a 91 prêmios exclusivos, dentre eles um celular, basta inscrever-se gratuitamente ou ativar um plano até o dia 30 de novembro deste ano nesta página. Serão sorteados 20 vouchers digitais da Centauro/Netshoes no valor de R$ 100; 70 vouchers digitais de R$ 50 das mesmas lojas; e um smartphone Samsung Galaxy A03 64 GB.

 

Defesa do funcionalismo
 

Artur Marques salienta que a AFPESP tem se posicionado com muita firmeza diante de medidas prejudiciais ao funcionalismo adotadas por governantes. Como exemplo, cita a mobilização da entidade em favor da aprovação de projetos e decretos legislativos que anulam o aumento do desconto previdenciário de aposentados e pensionistas do governo paulista, adotado a partir de 2020. “Neste momento, estamos à espera da sanção, pelo governador do Estado, Rodrigo Garcia, do projeto de lei aprovado pela Assembleia Legislativa que corrige essa distorção”, ressalta.
 

No plano federal, a entidade tem se mantido atenta à reforma administrativa (Proposta de Emenda à Constituição 32/2020), de iniciativa do Executivo. “Sempre iremos nos contrapor a medidas que sejam prejudiciais ao funcionalismo, que não podem arcar com os ônus fiscais da União, estados e municípios”, afirma Artur Marques.

Notícias Relacionadas