Pesquisar

10 fatos que demonstram que você está sobrecarregado



  Trabalhe enquanto eles dormem”, “Dou conta de tudo sozinha”, essas e outras frases que romantizam a sobrecarga podem estar por trás de uma pessoa que está passando por sofrimento emocional e que pode chegar a atrapalhar sua saúde mental. Para se ter uma ideiauma pesquisa divulgada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) mostra que 43% dos entrevistados dizem que estão com sobrecarga de trabalho e 31% sofrem pressão por resultados e metas. Mas não é só no trabalho que essa situação acontece, também é comum para quem é responsável por outros adultos que precisam de cuidados especiais e pais responsáveis por crianças. Segundo um levantamento com 1 086 brasileiros, realizado pelo grupo Consumoteca, pelo menos seis em cada dez participantes afirmaram sentir falta de apoio no dia a dia com as crianças e sobrecarregados, pelo acúmulo de trabalhos — o que engloba emprego e cuidados com os filhos e a casa. 


De acordo com o psicólogo, professor de Psicologia e Doutor em Psicologia pela PUC Minas e Universidade de Genebra, Luiz Mafle, a sobrecarga acontece quando temos diversas tarefas para realizar ao mesmo tempo, mas não diz respeito necessariamente a ter muitas coisas a serem feitas, também podem acontecer quando estamos muito preocupados com uma atividade. “Por exemplo, quando é preciso tomar conta de alguém que tem uma necessidade e precisa estar presente o tempo todo, com cuidados, isso gera uma sobrecarga ou então um trabalho que a todo momento apresente uma urgência, o tempo todo você precisa checar, verificar, lembrar. Tudo isso pode gerar uma sobrecarga. Na hora que essas duas situações se acumulam é uma bomba. Nesse momento, o nível de estresse e depressão é possível dobrar ou quadruplicar”, explica o especialista. 

 

Abaixo, o psicólogo, professor de Psicologia e Doutor em Psicologia pela PUC Minas e Universidade de Genebra, Luiz Mafle lista 10 fatos que demonstram que você está se sentindo sobrecarregado(a). Confira:

 

1 - Tudo a flor da pele: Uma das principais características de uma pessoa que está tentando lidar com diversas tarefas é a irritabilidade. “A pessoa fica muito sensível, isso pode surgir na forma de agressão, ela sendo reativa, ou também ser aquela pessoa que qualquer coisa que digam ela chora. Isso acontece porque ela está tentando se livrar de qualquer outra demanda que possa surgir”, alerta Luiz. 

 

2 - Insônia: Com tantas tarefas e a cabeça cheia de pensamentos, normalmente quem está sobrecarregado começa a ter perda de sono. “Com o sono desequilibrado, o cansaço se torna ainda mais frequente. Além disso, começa a gerar impactos na rotina e também na saúde física”, conta o especialista.

 

3 - Perda de rendimento no trabalho: O excesso de preocupações e tarefas também prejudica o foco e a atenção no trabalho. “Normalmente, quem está sobrecarregado se sente desmotivado e com dificuldades de concentração, o que pode impactar diretamente na rotina profissional. Além disso, a irritabilidade e os sentimentos à flor da pele podem provocar conflitos entre os colegas”, orienta Luiz. 

 

4 - Aumento ou perda de apetite: A sobrecarga emocional também atinge a forma como cuidamos do nosso corpo e alimentação. “É possível ver pessoas que esquecem de comer e outras que descontam os sentimentos na alimentação. Necessitamos olhar com cuidado e entender porque está acontecendo esse desequilíbrio na alimentação, pode ser um sinal que o corpo e a mente precisam de ajuda”, explica Luiz.

 

5 - Sentimento de fracasso: “Com tantas atividades sob seu controle, a pessoa sobrecarregada muitas vezes não consegue dar conta de tudo e se sente frustrada e com o sentimento de desamparo. Ela começa a abraçar o mundo e isso a sufoca e frustra”, conta.

 

6 - Ansiedade: Quando vivemos além dos nossos limites normalmente também estamos em estado de ansiedade. “O cansaço mental pode vir acompanhado de dores no peito, falta de motivação e crises de ansiedade. Com tantas preocupações é comum que os indivíduos fiquem mais ansiosos e comecem a criar cenários em sua cabeça, o que pode aumentar ainda mais os gatilhos para ansiedade”, revela Luiz. 

 

7 - Depressão: A sobrecarga quando é vivida em grandes períodos é um dos principais fatores que causam ansiedade e depressão. énormal que existam períodos cansativos, mas a pessoa ao atingir o objetivo que ela almejava, não fica mais sobrecarregada. “Agora quando essa sobrecarga é vivida por longos períodos, a pessoa começa a se sentir frustrada, a vida começa a se paralisar, porque não sobra espaço para outros crescimentos, desenvolvimentos, e vira uma rotina muito pesada. A pessoa vai se sentindo pior, cansada, sem energia, não consegue ter uma vida pessoal nem um autocuidado, vai se sentindo desvalorizada, abandona e isso aumenta o nível de ansiedade e depressão”, esclarece o especialista. 

 

8 - Isolamento: Em um nível mais avançado de sobrecarga a pessoa começa a se fechar, isolar, não tendo contato com os amigos e familiares. “Ela se fecha e não conta com mais ninguém, quer se isolar. Tudo parece virar uma exigência, então ela acha que qualquer outra demanda vira uma tarefa, assim começam os problemas nas relações”, diz o psicólogo. 

 

9 - Deixar o autocuidado de lado: Com tantas tarefas a pessoa não consegue ter um tempo para olhar para si mesma. “Normalmente perde o prazer em se cuidar, se arrumar e às vezes deixa de lado até os atos de higiene. Não se olha mais com carinho e atenção, porque a exaustão tomou conta e o autocuidado se torna mais uma tarefa em meio a tantas”, revela. 

 

10 - Não buscar ajuda: “É importante buscar ajuda e se cuidar. Uma pessoa com sobrecarga tira muito proveito da psicoterapia, porque ela vai compreender quais os motivos que estão levando ela a assumir todas essas responsabilidades de uma vez e provavelmente sozinha, o que ela sente que precisa compensar assumindo tanto responsabilidade para si e que não pode compartilhar com outras pessoas”, explica Luiz.

 

Ainda de acordo com ele, muitas vezes a pessoa sobrecarregada se sente menos valorizada, então para mostrar seu valor busca assumir muitas tarefas, para as pessoas verem que ela tem muita capacidade. “A psicoterapia é fundamental para ver até que ponto a responsabilidade deve ser assumida e até que ponto ela deve ser compartilhada com alguém, porque muitas vezes essas crenças centrais de não ser amado, não ter valor, nos fazem tomar decisões, ter atitudes e pensamentos que nos colocam em enrascadas e não vemos mais saídas. A terapia é um ótimo lugar para encontrar novas saídas, possibilidades, formas para lidar com as situações, trazendo menos peso para nosso dia a dia”, conclui Luiz Mafle.

Notícias Relacionadas