Engenheiro migra para carreira de tatuador: Conheça a história de Renato Ostrowski



Com passagens por estúdios nos Estados Unidos e Europa, o tatuador de 31 anos e sócio do Unna Studio é adepto ao mini realismo - estilo responsável por produzir um impacto visual diferente de todos os outros, já que é capaz de replicar qualquer referência visual na pele dos seus clientes. O mini realismo possui uma gama enorme de variações e as imagens ganham elementos realistas em tamanho reduzido pelas mãos de Renato Ostrowski; que sempre teve familiaridade com desenho se destaca pelos traços leves, realistas e posicionados estrategicamente na pele.  

E é com esse jeito diferente que ele marca o corpo dos seus clientes ao redor do mundo replicando fotos de Amy Winehouse, Jack Nicholson (O Iluminado), Jesse (Breaking Bad), Natalie Portman, Einstein, Martin Luther King, Jim Carrey, Michelle Pfeiffer e Deni Devito (Batman), Tupac, Rita Lee, Marilyn Monroe, Chopin, Audrey Hepburn, Belchior, Ayrton Senna, Darwin, Muhammad Ali, Albert Camus, entre outros.

Quando se fala em tatuar, abre-se um leque muito grande e cada profissional irá desenvolver o seu estilo por meio da sua personalidade e de requisitos próprios. Já entre os seus rabiscos, as palavras Ars e Scientia (arte e ciência em latim) marcadas em seu corpo resumem suas duas paixões. Formado em Engenharia Civil pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e com experiência na área, Ostrowski que atuou como projetista industrial fazendo cálculo e  dimensionamento de prédios, trouxe características importantes da sua formação para o estúdio de tatuagem que fundou em 2018: o senso estético apurado e a atenção aos detalhes. O profissional também busca inspiração nos clássicos gregos, romanos, renascentistas e neoclássicos – especialmente pela delicadeza e atenção aos mínimos detalhes.

Segundo Ostrowski, o que diferencia não só os estilos, mas também o perfil dos tatuadores está na motivação e no olhar crítico do profissional que está por trás de cada projeto. “Nós precisamos olhar além do desenho, estudar a parte do corpo que será tatuada, o tom da pele, o estilo, a mensagem, as cores que serão utilizadas, a dimensão do desenho com a estrutura corporal da pessoa e para isso, entender apenas de desenho não basta. Perceber o comportamento de luz e sombra e anatomia são imprescindíveis para quem quer se destacar e conseguir um resultado além do senso comum” – garante.


Vale destacar que a indústria global de tatuagem, estimada em US$ 1.4 bilhões, evoluiu muito nos últimos anos, em termos de qualidade e adesão (sendo procurada por pessoas de todas as idades). Novas técnicas e estilos surgiram para agradar, encantar e marcar pessoas com imagens, homenagens e frases: “Acredito que o que mais fascine as pessoas hoje em dia, são os detalhes do desenho e por isso temas mais profundos, motivações, sentimentos e sensações acabam sendo representadas na pele. É muito difícil a pessoa seguir modismos e tatuar o que todo mundo está tatuando. Por isso, ser especialista em algo único, exclusivo e que trará personalidade para a pele do cliente, é importante. Tatuo porque acredito que a tatuagem é a melhor maneira das pessoas se expressarem” – argumenta. 

Para aqueles que desejam começar a tatuar, Ostrowski destaca que a prática e o estudo consciente podem tornar qualquer pessoa boa em desenho e, consequentemente, na arte da tatuagem: “Após um ano e meio que havia começado a tatuar, conquistei o primeiro lugar no Prêmio de Melhor Retrato em uma Convenção de Tatuagem com a imagem de Edgar Alan Poe. Foi uma satisfação muito grande vencer esse prêmio tão iniciante na tatuagem e competindo contra tatuadores com muitos anos de experiência” - lembra.

Sobre Renato Ostrowski


Formado em Engenharia Civil pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) trocou o projeto de construir o seu escritório por um estúdio de tatuagem – Unna Studio - e desde 2018 cria, rabisca e conquista clientes e fãs ao redor do mundo. Com uma equipe de 11 tatuadores que fazem os mais diversos estilos: realismo, botânico, blackwork, fineline, old school. Ostrowski representa o mini realismo e se destaca pela aplicação minuciosa de elementos realistas em tamanho reduzido – faz colagens, montagens e composições que podem envolver fotografias, pinturas, gravuras ou estátuas. Saiba mais em: www.unnastudio.com