Casos de ‘ameba comedora de cérebro’ chegam ao Ocidente; homem está internado em estado grave



Um morador do Missouri está hospitalizado em terapia intensiva depois de ser infectado com uma rara ameba comedora de cerebros. Ele provavelmente foi contaminado depois de nadar em um lago no sudeste de Iowa, disseram autoridades de saúde na sexta-feira.

O Departamento de Saúde e Serviços Humanos de Iowa fechou a praia no Parque Estadual Lake of Three Fires, no condado de Taylor, depois que a pessoa foi diagnosticada com meningoencefalite amebiana primária, uma infecção rara e geralmente fatal causada pela ameba Naegleria fowleri.

“O fechamento é uma resposta preventiva a uma infecção confirmada de Naegleria fowleri em um residente do Missouri com exposição potencial recente enquanto nadava na praia”, de acordo com  um comunicado das autoridades de saúde de Iowa.

As autoridades de saúde do estado de Iowa e os Centros de Controle e Prevenção de Doenças estão testando para confirmar a presença da infecção no lago, o que pode levar vários dias para ser concluído.

As pessoas são infectadas quando a água que contém a ameba entra no corpo pelo nariz, geralmente enquanto as vítimas estão nadando ou mergulhando em lagos e rios. A taxa de mortalidade é superior a 97%, de acordo com estatísticas do CDC. Apenas quatro pessoas de 154 indivíduos infectados conhecidos nos Estados Unidos de 1962 a 2021 sobreviveram.

"É o pior parasita do mundo que conhecemos porque causa uma patologia tão devastadora", disse Christopher Rice, pesquisador do Centro de Descoberta de Drogas da Universidade da Geórgia. Ele acrescentou que a infecção cerebral é difícil de diagnosticar porque requer uma amostra de líquido cefalorraquidiano.

Acredita-se que seja o primeiro caso descoberto em Iowa. Os estados vizinhos Minnesota, Missouri e Kansas relataram infecções, que ocorreram principalmente nos estados do sul.

Em 2020, um menino de 13 anos morreu de uma ameba comedora de cérebro depois de passar férias na Flórida, segundo sua família.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças diz que  a ameba rara é encontrada principalmente em água doce, como lagos, rios e fontes termais.

O CDC diz que os sintomas começam como dor de cabeça frontal severa, febre, náusea e vômito; os sintomas podem progredir para torcicolo, convulsões, estado mental alterado, alucinações e coma.

Os sinais de infecção geralmente começam alguns dias após a natação ou outra exposição nasal à água contaminada. As pessoas morrem dentro de um a 18 dias após o início dos sintomas. No entanto, o CDC diz que as pessoas não podem ser infectadas ao engolir água contaminada.

Postar um comentário

0 Comentários

Leia também