Ator de Power Rangers é condenado à morte

John Julius Jacobson Jr., de 42 anos de idade, mais conhecido como Skylar DeLeon, mais famoso por ter atuado na série de TV Power Rangers (1993-1996), foi condenado à morte na Califórnia, EUA, por duplo assassinato.
Deleon teve sua grande oportunidade de alavancar o portfólio em 1993, quando, aos 14 anos, ele interpretaria um dos jovens que apoiaria os patrulheiros série Mighty Morphin Power Rangers, que estava em constante ascensão comercial nos Estados Unidos.
A visibilidade obtida, apesar de ter sido um personagem de poucas falas que não creditado pela participação no episódio “Second Chance”, o dinheiro e a experiência obtidos possibilitavam ao garoto um excelente cartão de visitas para trabalhos futuros, porém, sua disciplina e educação contrastava com as oportunidades dadas ao jovem. Não se especializando ou buscando aperfeiçoar suas técnicas, Skylar teve sua vida completamente mudada.
Quando as falas passaram a ser mais complexas nos trabalhos que o ator era chamado, o rapaz começou a sofrer para decorar e soava mecânico demais para interpretar algo externando emoções. Logo, foi perdendo diversos trabalhos e teve de desistir da carreira, mesmo que momentaneamente, somente para conseguir se sustentar.
Skylar então ingressou no Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos, porém, com apenas 15 dias de trabalho, sua indisciplina já o registrava como desertor por diversas ocasiões de ausência sem a liberação de sua companhia. Dias depois, mais uma porta se fechava para o ex-ator: a Marinha assinava a dispensa do rapaz, com apenas 20 anos, especificando que foi uma participação não honrosa.
Sem previsão de resolução em relação aos problemas da vida, decidiu cometer delitos leves para fechar as contas, sendo condenado em 2002 por assalto à mão armada. Na prisão, conheceu membros da gangue Insane Crips, que amparou o rapaz para unir forças, visto que o mesmo tinha conhecimento na alta sociedade. John Fitzgerald Kennedy, membro ativo da gangue, foi apresentado a Skylar por Myron Sandora Gardner.
Enquanto nutria relações criminosas com membros d, seu agente penitenciário na prisão, se tornou um grande confidente e amigo do ex-ator. Quando sua pena foi cumprida, o rapaz convenceu os dois membros e o agente a tentarem uma arriscada tentativa de levantar fundos, alegando que conhecia um meio rápido de arrecadar uma quantia suficiente para todos.
O assassinato em alto mar
Na segunda metade de 2004, Thomas Hawks, um bodybuider aposentado da polícia, e Jackie Hawks, sua esposa, foram dados como desaparecidos. Ambos viviam em um iate e navegavam há dois anos pelo golfo da Califórnia e pelo Oceano Pacífico. Em 15 de novembro do mesmo ano, iriam se encontrar com um interessado em comprar o veículo aquático. Na ocasião, Skylar e sua esposa, Jennifer, compareceram para ver as condições do iate.
Algumas horas depois, o iate voltou ao ponto que costumava ficar estacionado, porém, os donos do barco não voltaram junto. 11 dias depois, com as investigações sobre o desaparecimento, uma tentativa de saque na conta de Hawks foi negada e informada as autoridades. Por ser a última pessoa a se encontrar com o ex-oficial, Skylar foi chamado para depor, porém, em depoimentos seguintes, se enrolou e tentou sair do país diversas vezes.
No ano seguinte, confessou o crime e sua crueldade: rendidos com uma arma de choque, o casal foi obrigado a assinar um documento que passava o iate ao seu nome. Inicialmente, Skylar havia dito que a compra do barco havia sido legal para lavar o dinheiro obtido no roubo que havia sido condenado anteriormente. Porém, o que realmente aconteceu foi que, após assinar o documento, o casal foi mantido como refém.
Além da esposa e Skylar, participaram diretamente das agressões os membros da gangue, sempre acobertados pelo agente penitenciário. Nos dias seguintes, a equipe amordaçou o casal, os amarrou em âncoras e os jogou no fundo do mar, com os corpos nunca mais encontrados.
Com a confissão, Jennifer foi condenada à prisão perpétua. Alonso, foi condenado a 20 anos de prisão, junto a Myron, que foi considerado cúmplice minoritário e condenado a 4 anos de reclusão. Porém, Skylar e John foram condenados à pena de morte e, desde então, aguardam sua execução no corredor da morte.
Recentemente, Skylar foi condenado à morte por injeção letal. No entanto, por conta do fim da pena de morte na Califórnia, desde 2019, ele deve passar o resto da vida no corredor da morte. Já sua mulher, Jennifer, recebeu uma sentença de prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional.