Inverno aumenta o uso de alguns aparelhos elétricos e CPFL Piratininga dá dicas de como economizar



O mês de maio propiciou ao estado de São Paulo as temperaturas mais baixas dos últimos 15 anos, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Na segunda metade do mês, os termômetros chegaram a marcar 4 graus em algumas cidades, como em Campinas e Garça, na região de Marília. O inverno, que oficialmente começa neste 21 de junho, deu sinais antecipados e, com isso, já trouxe o alerta sobre aumento do consumo de energia em função do uso maior de alguns equipamentos.

Nesta época, são comuns os banhos mais quentes e o uso de aquecedores e secadoras de roupa, por exemplo. Por isso, o uso racional, que depende dos hábitos de cada morador, impactará no consumo mensal de energia. No caso do chuveiro, o consumo pode representar até um terço da conta nos períodos de maior uso.  

Outra questão importante é garantir a segurança das instalações elétricas. Revisar o cabeamento que alimenta os principais aparelhos elétricos da casa e não conectar vários na mesma tomada são essenciais para assegurar o seu bom funcionamento. Fios finos demais para a ligação do chuveiro, por exemplo, podem não dar conta da potência necessária para o equipamento. 

“O inverno é marcado pelo consumo maior de alguns equipamentos, como os chuveiros, mas também pode haver uma redução de outros, como geladeiras e freezers. O cliente precisa ficar atento porque é possível compensar este consumo mais elevado adotando hábitos em relação a outros equipamentos”, destaca Giulianno Bolognesi Archilli, especialista de projetos de Eficiência Energética da CPFL. 

Veja quanto cada equipamento consome de energia e quais os pequenos cuidados que você pode ter para combater o desperdício e economizar.

O chuveiro elétrico é o aparelho que mais consome energia em uma residência. Ao utilizá-lo no modo “inverno”, o acréscimo no consumo é de até 30% em relação ao modo “verão”. O banho passa a ser responsável por 25% a 35% dos gastos na conta de luz nos meses mais gelados. Para economizar, o correto é reduzir ao máximo o tempo do banho. Dessa forma, o cliente consegue reduzir, além da energia, o consumo de água. Um banho de 15 minutos utiliza aproximadamente 135 litros de água. Se o cliente fechar o registro ao se ensaboar, o consumo do líquido cai cerca de 45 litros - uma significativa economia de 33%.

Com a chegada dos dias mais frios, o uso das secadoras também cresce. O aparelho consome entre 80 a 100 kWh por mês, quando utilizado uma vez por dia. O frio também contribui para que se use mais a lavadora, que consome mensalmente cerca de 36 kWh, 5% do consumo total de uma residência, quando ligada duas vezes por semana. Já o ferro de passar roupa, quando ligado por 1 uma hora durante doze dias, pode representar de 12 a 20 kWh no final do mês. A dica aqui é procurar acumular roupa para lavar e secar tudo de uma única vez. Esse conselho também vale para quando for usar o ferro elétrico.

Aquecedores de ambientes também são recorrentes nesta época do ano. O consumo médio mensal do aparelho pode chegar a 160 kWh. Por isso, quando for comprar um aquecedor para sua casa, certifique-se que seu tamanho e potência estão adequados ao ambiente em que será utilizado. Isso evita gasto de energia desnecessário. Outra dica é escolher modelos com timer, assim, quando o cômodo estiver na temperatura ideal, o aparelho desliga e não consome energia. Se optar por utilizar ar-condicionado, uma opção viável é a instalação de ar-condicionado no modelo inverter, que economiza até 40% em comparação aos equipamentos convencionais. 


Veja também outras dicas que vão ajudar na economia de energia:

A geladeira compete com o chuveiro como um dos equipamentos que mais consomem energia em uma residência. Ela representa, em média, de 15% a 20% do valor da sua conta. Para este caso, a dica é instalar a geladeira em local bem ventilado, não encostando em paredes ou móveis, longe de raios solares e fontes de calor, como fogões e estufas. Nunca utilize a parte traseira da geladeira para secar panos ou roupas. Degele e limpe a geladeira com frequência e não se esqueça de manter as borrachas de vedação da porta em bom estado. Se for comprar uma geladeira nova, também procure modelos com a tecnologia inverter, que economizam cerca de 40% - 50% se comparado aos modelos convencionais.

As lâmpadas também têm um papel importante no consumo, a iluminação representa de 5% a 15% do valor da sua conta de energia. É bom evitar acender lâmpadas durante o dia e aproveitar mais a luz natural. Abra as janelas, cortinas, persianas e deixe a luz do dia iluminar sua casa e se puder pinte as paredes com cores claras. Lembre-se sempre de apagar as lâmpadas dos ambientes desocupados e dê preferência a lâmpadas de LED. Eles iluminam melhor, duram mais e consomem menos energia.

Um eletrodoméstico muito utilizado neste momento em que as pessoas estão mais em casa é o televisor. Ele fica ligado, em média, de 4 a 5 horas por dia nas casas brasileiras. A potência média deste aparelho é de 150 watts, porém, os modelos mais antigos alcançam valores bem maiores.

O consumo mensal de energia elétrica de um televisor fica entre 10 e 30kWh, e ele pode ser responsável por entre 5% e 10% da sua conta. Por isso, lembre-se de desligar a TV quando ninguém estiver assistindo. Não deixe o aparelho ligado enquanto estiver dormindo, utilize as funções timer ou sleep de desligamento automático. Se for comprar, escolha televisores mais econômicos, modelos mais modernos gastam menos energia.


COMO IDENTIFICAR FUGA DE ENERGIA 


Fuga de energia.


Você sabia que, assim como podem ocorrer vazamentos de água em casa, é possível ocorrer “vazamento de energia”? Redes elétricas em mau estado de conservação e subdimensionadas, lâmpadas elétricas queimadas, fios desencapados e até mesmo aquela borracha velha na porta da geladeira são os principais responsáveis pela fuga de energia.


 Teste


Para verificar se existe fuga de energia em seu imóvel faça um teste simples: Desligue todos os aparelhos e retire-os da tomada (não esqueça da geladeira). Apague todas as luzes. Em seguida observe o medidor de energia: o disco poderá girar até completar uma volta, após isso, se estiver ainda em movimento (girando), mesmo com tudo desligado, significa que existe fuga de energia em sua casa. No caso de medidor digital, basta verificar se o número do mostrador se altera.

Nesse caso procure a ajuda de um eletricista qualificado para que o problema seja solucionado, pois além de economizar energia você pode evitar futuros acidentes.

A CPFL Piratininga também dá dicas de como evitar a fuga de energia:


Emendas


Emendas na fiação aumentam o desperdício e podem provocar incêndios. Por isso, devem ser bem executadas, evitando aquecimento e fuga de energia. O ideal é revisar a rede e eliminar, na medida do possível, todas as emendas.


Fios


Se a rede interna de sua residência possui fios expostos ou desencapados, providencie a substituição. Fios neste estado ocasionam acidentes e contribuem para a perda de energia. Também, se a residência tiver fiação muito antiga, ela pode estar subdimensionada para os novos equipamentos que acabaram sendo instalados no decorrer do tempo e uma revisão com um profissional qualificado é recomendada. 


 Choques


Se perceber que em algum ponto da residência ou em algum equipamento ou eletrodoméstico ocorrem choques elétricos, significa que há fuga de energia elétrica ou problemas de aterramento. Contate um profissional o mais breve possível para checar e solucionar o problema.


Lâmpadas


Lâmpadas fluorescentes queimadas contribuem para o desperdício. Como não é possível saber se o interruptor está desligado ou não, o consumo de energia pode ocorrer sem que ninguém perceba. Para prevenir, deve-se substituir imediatamente a lâmpada ou desligar o interruptor.


Chuveiro


Fiação fina demais na ligação elétrica do chuveiro pode ocasionar fuga de energia e riscos à segurança. Nesse caso, os fios superaquecem e podem provocar incêndios. Use sempre a fiação recomendada pelo fabricante e consulte um eletricista no momento de instalar ou trocar seu chuveiro por um novo ou mais potente. Os chuveiros devem ser aterrados evitando assim choques e acidentes.


 Rede subdimensionada


Ao executar os serviços de instalação da rede elétrica de sua residência procure os serviços de um eletricista. Esse profissional poderá dimensionar o tamanho e determinar a capacidade das instalações. Uma rede que não comporte a quantidade de aparelhos elétricos pode colocar a residência em risco e ocasionar fuga de energia.

Sobre a CPFL Energia. A CPFL Energia, há 109 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, transmissão, comercialização e serviços. Desde 2017, o Grupo faz parte da State Grid, estatal chinesa que é a segunda maior organização empresarial do mundo e a maior empresa de energia elétrica, atendendo 88% do território chinês e com operações na Itália, Austrália, Portugal, Filipinas e Hong Kong.

Focada em uma forma mais sustentável de produzir energia, tem na CPFL Renováveis uma das maiores empresas de geração da América Latina a partir de fontes alternativas, com um portfólio baseado em fontes limpas como grandes hidrelétricas, usinas eólicas, térmicas a biomassa, Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e usina solar. Em geração, é a terceira maior agente privada do País, com capacidade instalada de 4.303 MW. 

Com 14% de participação, a CPFL Energia é uma das maiores empresas no mercado de distribuição, totalizando mais de 10 milhões de clientes em 687 cidades, entre os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná. Na comercialização, é uma das líderes no mercado livre, com participação de mercado de 4%. É líder na comercialização de energia incentivada para clientes livres entre as comercializadoras.

A CPFL Energia possui ações listadas no Novo Mercado da B3. O Grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os maiores investidores brasileiros, por meio do Instituto CPFL.

Leia também...