Satanistas pedem liberação do aborto como "pratica religiosa"



Para os satanistas do Templo Satânico (The Satanic Temple), entidade fundada em 2013, nos Estados Unidos, o aborto deve ser considerado uma prática religiosa, como parte de seus rituais, pedindo liberação em estados que colocam barreiras ao assassinato de bebês em ventre materno.

Fundado por Lucien Greaves e Malcolm Jarry, o Templo Satânico tem buscado reconhecimento como religião, atuando na esfera política em favor de pautas da extrema esquerda. A sede do grupo é em Salem, Massachusetts.

"Em estados que proíbem o aborto, mas concedem exceções para casos de incesto e estupro", disse o TST em um comunicado, "os membros devem ter uma exceção religiosa para realizar o ritual de aborto religioso do TST".


Leia também...