Pai que 'não queria cachorro' é flagrado usando cone para consolar doguinho após cirurgia


Mesmo aqueles que não estão familiarizados com o mundo dos animais de estimação certamente já ouviram falar da coleira elizabetana . Este é aquele cone, geralmente feito de plástico, que cães e gatos usam para evitar que mordisquem, arranhem ou lambam feridas. Embora existam vários materiais, tipos e tamanhos, este instrumento de medicina veterinária, nomeado em memória das coleiras plissadas que estavam na moda na era elisabetana , representa uma verdadeira tortura para quem é obrigado a usá-lo. O protagonista da história que estamos prestes a contar está bem ciente disso. O nome dele é Ollie, um cachorro forçado a usar uma coleira destas. Felizmente, seu dono fez o mesmo para evitar que ele se sentisse sozinho. Postado no Instagram, o vídeo de Ollie e seu mestre viralizou.
Como a maioria dos nossos amigos de 4 patas, Ollie não pulou de alegria quando soube que tinha que usar a coleira elizabetana. No entanto, ele não tinha muita escolha. Para se curar dos pontos após a pequena cirurgia que sofreu, foi necessário aceitar essa tortura. Uma obrigação que provocou profundo descontentamento em Ollie. Olhos cheios de tristeza e tristeza acompanharam Ollie nos primeiros dias de convalescença, um humor tão evidente que afetou até seu mestre. Mas o que o homem poderia fazer para animar seu cachorrinho peludo?

A família tinha guardado em casa um outro cone da vergonha, e o homem decidiu usá-lo para que o animal de estimação não se sentisse tão só. “É meu pai usando um cone para fazer meu cão se sentir menos solitário depois da cirurgia. Juro, são sempre os pais que não queriam cachorros que acabam os amando mais”, escreveu ela na legenda do vídeo.
Ao site The Dodo, Alex contou que apenas riu quando viu a cena e imediatamente para a mãe, para que ela visse também. E o apoio deu resultado, “Ollie definitivamente parecia um pouco mais feliz”, contou a tutora.
Foram alguns dias para Ollie e algumas horas para seu avô humano, mas o cãozinho se recuperou bem e ficou livre do temido cone da vergonha.