Novo presidente da Coreia do Sul quer tirar um ano de idade de todos cidadãos



Os cidadãos da Coreia do Sul podem ficar um ano "mais novos". Esta será uma das prioridades legislativas do novo presidente do país, que tomou posse esta terça-feira.

Yoon Seok-yeol quer alterar a chamada "idade coreana". No país asiático, os bebés, quando nascem, são considerados como tendo um ano de idade. E somam mais um ano a cada passagem do Ano Novo. Na prática, uma criança nascida em dezembro pode ter dois anos de idade com poucas semanas de vida.

O novo presidente sul-coreano quer abolir este método centenário e colocar o país em linha com o resto do mundo. Yoon Seok-yeol diz que a "idade coreana" tem resultado em confusões persistentes e custos económicos e sociais desnecessários.

Na Coreia do Sul existem três formas de contar a idade. Para processos administrativos existe o sistema internacional. Existe uma segunda forma, em que um bebé nasce com 0 anos de idade, mas ganha um ano a cada dia 1 de janeiro. Este método é utilizado, por exemplo, para o recrutamento militar.

A terceira forma, conhecida como a "idade coreana", utilizada por todos os cidadãos do país, dá um ano de idade a cada recém-nascido e soma um ano a cada dia 1 de janeiro. O sistema de contagem tem origem na China, mas atualmente é apenas utilizada na Coreia do Sul.