Menina de 3 anos morre durante ritual de exorcismo: 'Vontade de Deus'



Vem repercutindo em todo o mundo o caso de uma menina de três anos que morreu asfixiada durante uma sessão de exorcismo praticada por um pastor, que era seu avô, na cidade de San Jose, na Califórnia, nos EUA. Líderes religiosos de uma pequena igreja evangélica em San Jose (Califórnia, EUA) confirmaram recentemente ter realizado uma cerimônia com a criança para "libertá-la de seus espíritos malignos", mas garantem que o que aconteceu foi "a vontade de Deus", não a consequência de um exorcismo.

"Se você ler a Bíblia, verá que Jesus expulsa demônios e torna os doentes saudáveis ​​novamente", disse Rene Huezo, pastor da Igreja Apóstolos e Profetas e avô da vítima, segundo o "Mercury News". "Não é quando eu quero fazer, é quando Deus, em sua vontade, quer curar a pessoa. O pregador é como um instrumento de Deus; o que fazemos é o que Deus diz", acrescentou ele.

A morte de Arely Naomi Proctor por asfixia foi considerada homicídio de acordo com o laudo do legista do condado de Santa Clara. Sua mãe, Claudia Hernandez, que, segundo investigadores, negou comida à menina e apertou o pescoço dela durante a sessão de exorcismo, foi presa e acusada de agressão a uma criança resultando em morte.

Parecendo visivelmente ansioso e chateado após um culto na noite do último domingo (8/5), o pastor Huezo, que realizou o exorcismo em Arely em setembro, disse que sente muita dor pela morte da neta.

O que mais surpreendeu a opinião pública norte-americana foi o fato de apenas a mãe ter sido indiciada pelos promotores como autora do homicídio, deixando o avô, figura central na história funesta, e o tio fora das acusações.

"É difícil para as pessoas entenderem o que aconteceu, mas é coisa de Deus, e tudo está na vontade de Deus, não importa quão pequeno ou grande", justificou o avô da vítima.