Conheça Balto, o cão que salvou a vida de milhares de crianças com difteria



Balto (c. 1919 – 14 de março de 1933) foi um husky siberiano, conhecido por sua astúcia. Vivia no Alasca. Em 1925 houve uma epidemia de difteria que se alastrou entre as crianças da cidade. Por causa das nevascas, que bloquearam todos os meios de comunicação, era impossível a chegada de medicamentos. A única solução para obter os remédios seria a utilização de trenós puxados por matilhas de cães. Várias equipes percorreram os poucos mais de 1000 quilômetros desde Nenana

Balto ficou famoso em 1925 quando percorreu 1050 quilômetros em 27 horas. O tempo normal dos correios seriam de 25 dias.

Balto era o líder da matilha que puxava os trenós a 40 graus abaixo de zero.

Em 1933, após sua morte, Balto foi empalhado e encontra-se em exposição no museu de ciências naturais de Cleveland.

Uma estátua de Balto foi erguida em Nova Iorque um ano depois do acontecido em Nome para homenagear todos os cães e os seus condutores (mushers) que participaram da corrida.

Leia também...