Cachorro doente escondido debaixo do carro, recebeu amor de uma família que conseguiu transformá-lo



Quando Karla Solis viu um animal aterrorizado e faminto, sem pelos, tremendo debaixo de um carro em Tijuana, México, ela sabia que precisava ajudar.

Depois de várias tentativas, ela conseguiu persuadir o cãozinho assustado a sair para o sol, que ele evitava a todo custo, e percebeu que ele precisaria de atendimento especializado. 



Ela entrou em contato com Becky Moder, uma resgatadora de animais que trabalha no México e transporta alguns animais em situação de abandono para os EUA, quando os tratamentos necessários são mais complexos, além de organizar campanhas de arrecadação, para custear os tratamentos para cães e gatos. 

O cachorro, que depois recebeu o nome de Elliot, permitiu tudo sem reclamações: a avaliação médica, os exames de laboratório e o transporte para os EUA, mas, apesar de ser um animal ainda jovem – estima-se que ele tem cinco anos – suas condições de saúde deixavam pouca esperança

Para piorar, o tratamento médico estendeu-se por mais tempo do que o esperado e os recursos financeiros de Karla estavam chegando ao fim. Felizmente, Becky assumiu parte da dívida e acabou pagando quase metade do valor dos exames, consultas e medicamentos.




As duas benfeitoras chegaram a fazer vaquinhas virtuais para garantir que Elliot recebesse o atendimento necessário e o cachorro, antes tímido e medroso, começou a se mostrar mais afável e curioso, à medida que recuperava a saúde.

Dois meses depois do início do tratamento, os pelos de Elliot começaram a crescer. No início, era apenas uma penugem esbranquiçada, mas logo se mostrou uma pelagem avermelhada, cada vez mais vistosa.

Por fim, quando Elliot estava forte o suficiente, ele se despediu de Karla e de Tijuana e atravessou pela última vez a fronteira entre os EUA e o México, com destino a um abrigo em San Diego, na Califórnia (as duas cidades são separadas apenas por uma fronteira seca).



Elliot foi levado para o Barking Lot (“latindo muito”, em tradução literal), um abrigo mantido por voluntários sediado em El Cajon, na região metropolitana de San Diego. Poucos dias depois, um casal foi visitar o abrigo, procurando um animal mais velho.

Kim Forrest e sua namorada não queriam um filhote. Elas estavam à procura de um cão já adulto, de temperamento doce e tranquilo. No Barking Lot, eles conheceram Elliot – foi amor à primeira vista.

Elliot foi quase imediatamente levado para a casa de Kim. Ele ainda se mostrava tímido e um pouco amedrontado: os fantasmas do passado são difíceis de afastar. Ele não tinha coragem de subir nos sofás, mas ficou impressionado com o tapete da sala.

O cachorro recebeu um novo nome: Asher. Em dois anos de convívio com Kim, ele foi revelando lentamente o comportamento sereno e brincalhão. Kim já tinha comprado muitos brinquedos para o pet, mas, no início, ela achou que ele não tinha interesse em jogos e correrias. Só mais tarde, Asher se sentiu seguro para aceitar um brinquedo como propriedade inteiramente sua.

O cachorro também tinha outro motivo para ficar escondido embaixo dos carros: a pele ferida não suportava o sol direto. Durante algum tempo, Asher continuou evitando banhos de sol, mesmo já curado e com a pelagem restabelecida.

Agora, porém, ele adora sair de casa para brincar no sol. Asher também se revelou um excelente “chantagista”, porque conseguiu ganhar todos os ursos de pelúcia da coleção de Kim. Além disso, ele tem predileção por brinquedos que emitem algum tipo de som.

Ele é um cachorro calmo, não gosta de estranhos e prefere brincadeiras menos intensas, como os longos passeios no parque. Mas “ele é o melhor amigo do mundo”, de acordo com Kim e a sua parceira.