Jundiaí - Em cárcere privado, menor usa jogo on-line para pedir ajuda contra namorado



Uma adolescente de 17 anos encontrou uma maneira inusitada para pedir ajuda e se livrar do namorado abusivo que a mantinha em cárcere privado em uma residência na Estrada Municipal do Varjão, no Jardim Novo Horizonte, em Jundiaí.

Proibida de conversar com vizinhos ou parentes, já que era constantemente ameaçada de morte caso fizesse isso, a menor, que também era agredida de maneira frequente, viu uma chance de trazer a polícia até o imóvel. Por um jogo on-line de celular (Ludo), ela convenceu um desconhecido de que precisava de ajuda urgente, pois estava sendo mantida praticamente como refém.

Sem saber se daria certo, não teve outra alternativa, senão esperar a chegada de ajuda. E ela veio. Por sorte, o outro jogador acreditou em sua história e ligou para a Polícia Militar. O denunciante repassou o endereço da jovem ao 190 e, pouco tempo depois, uma equipe do 11º Batalhão do Interior apareceu para ajudá-la.

De acordo com a PM, a adolescente foi encontrada lavando roupas. Seus soluços foram escutados pelos patrulheiros (cabo Garcia e soldado Fernandes), desconhecendo ela que estava a poucos minutos de se livrar do companheiro abusivo e agressivo.

Ele foi encontrando no imóvel, mas decidiu que, mesmo com a polícia ali, não deixaria a menor ir embora facilmente. De acordo com o cabo Garcia, ao ser solicitado à jovem que buscasse seus documentos, o morador foi atrás, mesmo sendo determinado que ele continuasse na porta de entrada.

Por mais de uma vez, o patrulheiro determinou que voltasse, mas ele não atendeu. Ao decidir entrar para resguardar a jovem, o policial notou o agressor empurrando a menor com força contra a parede.

Ao pedir para largá-la, o militar foi surpreendido pelo agressor, que decidiu investir contra o policial. Neste momento, o patrulheiro pediu para a adolescente chamar seu amigo (soldados Fernandes) que aguardava na viatura para ajudá-lo, mas, quando o reforço chegou, o morador já estava imobilizado.

Na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Jundiaí, para onde o detido foi levado, a menor contou que se relacionava com ele havia um ano e há cinco meses estavam morando juntos. Neste período, foi agredida por diversas vezes e impedida de deixar o local.

Contou também que, certa vez, conseguiu ir para a casa de sua mãe, mas o namorado invadiu a casa da parente para buscá-la e levá-la de volta para a casa dele, onde desde então foi mantida em cárcere privado.

Após ouvir os depoimentos, a delegada titular da DDM, Rubia Braz Scarpa Fleming (investigadora-chefe Lilian Picchi), decidiu autuar em flagrante o homem por lesão corporal dolosa (com intenção), violência doméstica e resistência.

Como de praxe, a DDM deve solicitar à Justiça, caso seja de interesse da adolescente, medida protetiva determinando que, quando solto, o agressor não se aproxime da adolescente, agora sua ex-namorada. A unidade é considerada especializada da Polícia Civil e já conseguiu colocar atrás das grades inúmeros agressores de mulheres.


Imagem: pixabay