Com fim da bandeira extra, Aneel aprova reajuste de até 24% na conta de energia elétrica em alguns estados do país

 


A Aneel - Agência Nacional de Energia Elétrica, aprovou nessa terça-feira (19) reajustes nos preços da eletricidade em quatro estados brasileiros, todos da região Nordeste. A autorização dos reajustes, que chegam a 24% no caso do Ceará, vem logo após o fim da bandeira extra, que acrescentava 20% nas contas.

No Ceará, a Enel vai reajustar a energia em 23,99%. Na Energisa Sergipe, que atende cerca de 825 mil unidades consumidoras no estado, o reajuste aprovado pela Aneel é de 16,46% para o consumidor residencial.

No Rio Grande do Norte, a Cosern teve aprovado o reajuste de 19,87% na conta de energia para o consumidor residencial. 

Na Bahia, a Aneel aprovou reajuste de 20,73% para o consumidor residencial atendido pela Coelba. 





Todos os anos, a Aneel analisa e aprova reajustes nos preços cobrados pelas distribuidoras, para que o novo valor seja adequado às condições do setor. Os itens que mais afetaram as distribuidoras no último ano foram os encargos setoriais e os custos de distribuição e de aquisição de energia.

Ainda não foram divulgadas informações de reajustes para outros estados.

Além disso, em março a Aneel aprovou empréstimo de R$ 10,5 bilhões ao setor, que serão pagos em rateio nas contas dos clientes a partir de 2023, o que significa um reajuste significativo no próximo ano, ainda que não haja escassez hídrica.

"Os recursos serão emprestados por um pool (conjunto) de bancos públicos e privados e têm como objetivo diluir os impactos financeiros da escassez hídrica em 2021 e reduzir a alta da energia neste ano. Em contrapartida, os consumidores pagarão o empréstimo em parcelas, por meio de um encargo na conta de luz que será cobrado a partir de 2023", explica matéria da Agência Brasil.