Atriz Suzana Faini morre aos 89 anos



Faleceu nesta segunda-feira (25) a atriz  Suzana Faini, aos 89 anos. A atriz participou de importantes novelas brasileiras como "Selva de Pedra", "Pai herói", "Dancing days", "Chiquinha Gonzaga" e"Hoje é dia de Maria"

Suzana Faini nasceu na cidade de São Paulo em 09 de março de 1933 e mesmo sendo uma das atrizes mais dedicadas ao seu ofício, dos 19 aos 34 anos de idade foi bailarina. Como atriz Suzana integrou o elenco de importantes novelas, entre os grandes feitos de sua carreira está o fato de ser a única atriz que participou das duas versões da novela Selva de Pedra.

Dos 19 aos 34 anos, Suzana trabalhou como bailarina profissional. Foi ano de 1967 que decidiu começar a participar de aulas de artes dramáticas, sendo uma das primeiras alunas de Maria Clara Machado antes da abertura do "O Tablado". A transição aconteceu de maneira muito natural, pois como bailarina, Suzana fazia muitos trabalhos de danças mais interpretativas. A partir do começo do estudo, Suzana encontrou oportunidades como atriz ingressando no cinema em 1969 no filme Os Paqueras de Reginaldo Faria.

Começou a atuar em telenovelas em 1969 com Rosa Rebelde. Despontou no ano de 1970, quando teve um desafio ao interpretar o papel de Cema na novela Irmãos Coragem. A personagem sofria com uma gravidez complicada.

No teatro começou no ano de 1971 com a peça Hoje é dia de Rock de autoria de José Vicente. Participou de peças de grande sucesso como Hamlet, peça adaptada da obra de Shakespeare. No ano de 2011, participou do musical Sete e no ano seguinte atuou na peça A Mecânica das Borboletas em que contracenou com Eriberto Leão, Ana Kutner e Otto Jr.

A carreira de Suzana Faini é recheada de trabalhos de grande sucesso na TV como Dancin' Days, Pai Herói, Eu Prometo e as minisséries Chiquinha Gonzaga e Hoje é Dia de Maria. O cinema também faz parte da carreira da atriz e dentre os sucessos de mais destaque estão O Crime de Zé Bigorna, Eternamente Pagu e A Extorsão, que lhe rendeu prêmio de melhor atriz coadjuvante no Festival de Cinema de Lages em 1975.

Em 1988, deu vida à exigente dona de casa Maria em Vida Nova. Na trama, Maria era casada com Amadeu, interpretado por Rogério Márcico, e mãe de Bianca, interpretada por Patricia Pillar Sua personagem era dura com a filha e sua atuação a fez ganhar o Troféu APCA de melhor atriz coadjuvante. Em 1989, esteve no elenco de Top Model, onde interpretou a viúva batalhadora Cleide, mãe da protagonista Duda, interpretada por Malu Mader.

Durante alguns bons anos a atriz esteve afastada da TV, a sua última atuação com um personagem fixo em produções televisivas havia sido em Irmãos Coragem de 1995, até que houve o retorno triunfal de Suzana Faini em A Favorita, interpretando uma personagem forte e que passou a vida toda sabendo que não era o grande amor do seu marido, Copola, interpretado por Tarcísio Meira.

Em 2012 voltou ao horário nobre da Rede Globo em Salve Jorge, interpretando a vilã Áurea. Sua personagem gerou bastante discussão a respeito da intromissão de algumas mães na vida de seus filhos. Para Suzana a forma como Áurea se mete na vida de Théo – seu filho interpretado por Rodrigo Lombardi – é resultado de uma dedicação exclusiva a ele. A atriz diz que quando começou a pensar nesse trabalho percebeu que o comportamento de Áurea vem dessa dedicação exclusiva ao filho que fez com que ele passasse a acreditar que tem esse direito. Além da forma de controlar a vida do filho a personagem ainda mostrou o preconceito que existe contra as pessoas que moram em comunidades. Quando soube que a futura nora era do morro, a personagem de Suzana já se põe contra o relacionamento, pois como ela mesma dizia não havia criado o filho para esse destino. O status social de Morena, interpretada por Nanda Costa, não deixou que Dona Áurea percebesse que as qualidades da moça. Uma discussão importante.

Entre setembro de 2018 e abril de 2019, esteve no ar em Espelho da Vida, novela das seis da Rede Globo. Na trama interpretou uma guardiã, personagem repleta de mistérios e no passado é a mãe intransigente do Coronel Eugênio, interpretado por Felipe Camargo.