Programa A União Faz a Vida promove formação continuada em Itupeva



A Secretaria de Educação, em parceria com a Cooperativa Sicredi Fronteiras PR/ SC / SP, promoveu, nesta terça-feira (15), formação continuada para os professores da Educação Infantil, bem como a retomada de metodologia do Programa A União Faz a Vida (PUFV).

O encontro realizado na Sala do HTPC contou com a presença do prefeito Marcão Marchi, do vice-prefeito e secretário de Governo, Turismo e Desenvolvimento, Alexandre Mustafa, além do secretário de Educação, Fábio José de Andrade.

O chefe do Executivo Municipal fez questão de enaltecer a parceria com a cooperativa e destacou a importância do PUFV. “Quero agradecer aos parceiros da Cooperativa Sicredi e a todos os professores. Estamos vivendo um novo desafio, por conta desta retomada e temos que reagir. É uma felicidade imensa essa iniciativa na cidade, pois representa o investimento em educação, sobretudo aos alunos, preparando cada um deles para o presente”, destacou.

Do mesmo modo, o secretário de Educação, Fábio José de Andrade, recordou que a cidade já possui uma história com o PUFV. “E, por isso, tenho muito orgulho desta retomada, enfatizando a importância desta metodologia e cooperação com a Sicredi, que terá a função de nos auxiliar para os desafios que teremos pela frente. Todos estão de parabéns e que tenhamos o mesmo sucesso dos anos anteriores”, comentou.

Já a coordenadora do PUFV em Itupeva, Sandra Sai, ressaltou que esta parceria é um verdadeiro sucesso na cidade. “E, sem sombra de dúvidas, atribuo esse rendimento ao trabalho realizado pelos professores em sala de aula, a partir desta metodologia da cooperativa”, disse.

A representante do PUFV da Cooperativa Sicredi, Diovana Andreia Hossel, também demonstrou muita alegria por essa ocasião e rendeu homenagens aos professores. “O PUFV é uma iniciativa transformadora, porém, quem desenvolve esse protagonismo junto aos alunos são os professores, que dão todo apoio na execução do projeto, atuando na linha de frente, com amor pela educação”, explicou.

Alexandre Bertani, que atua como gerente da agência Sicredi em Itupeva, complementou o raciocínio, fez menção de agradecimento aos professores e destacou o quanto essa parceria com o município é fundamental. “O programa tem a função de ser transformador na vida dos alunos. No entanto, a execução do mesmo fica por conta do professor que é essencial em sala de aula. Por isso, essa parceria com o município é tão importante”, declarou.

A formação continuada foi conduzida pelo assessor pedagógico e professor, Carlos Henrique Favero, que abordou o principal tema, a metodologia em si. “Trata-se de uma ferramenta para auxiliar a educação sempre com a preocupação do protagonismo infantil, já que os projetos ganham vida, conforme os alunos têm abertura e estímulo para perguntar”, explicou.

O professor Carlos Henrique Favero também ressaltou que é importante frisar que o principal documento político pedagógico, Base Nacional Comum Curricular (BNCC), foi criado para momentos não pandêmicos, que não é a atual situação. “Neste caso, a formação tem como objetivo ressaltar maneiras de abordar a educação nos limites do atual cenário”, comentou.

Ao longo deste ano letivo, o PUFV estará presente nas escolas, com assessorias pedagógicas, com fins de suprir qualquer demanda do professor.

Presente no encontro, a professora Tânia Francisca Pansarini Rossetto – que atua na EMEI Professora Nilma E. C. Tartalha, no Jardim São José - afirmou que tem grande expectativa para o desenvolvimento do programa, juntamente com os parceiros e propriamente com os estudantes em sala de aula. “O ano letivo já foi iniciado e em sala de aula, a ideia é colocar o programa em prática, despertando a atenção dos alunos para os cuidados com o meio ambiente”, confirmou.

Por sua vez, a professora Aparecida Naves de Souza – que leciona na EMEI Madre Paulina, no Jardim Ana Luiza – salientou que também está otimista com o desenvolvimento do programa, neste ano letivo. “O propósito é direcionar o conceito do programa, juntamente aos meus alunos – na faixa etária de 5 anos – abordando a questão do trânsito, de uma maneira lúdica”, disse.