Itupeva completa 57 anos de emancipação e memórias são recordadas por ilustre morador



“O dia 21 de março representa muito para a população de Itupeva. É a data que simboliza o crescimento e a autonomia enquanto município”, assim definiu o morador do bairro Medeiros, Mário Darci Betelli.

Com 73 anos de idade, Darci é uma figura conhecida na cidade e viveu o período em que essa região ainda era distrito de Jundiaí. “Naquela época, a locomoção era completamente diferente. As pessoas dependiam do transporte ferroviário para acessar outras localidades, além de transportar o café que era uma produção muito forte naquela ocasião.”

Transporte e Educação

No distrito, poucas pessoas tinham veículos automotivos. “A minha família, por exemplo, utilizava charrete e com este meio íamos para todos os lados, inclusive para escola, que ficava a cerca de 8 quilômetros de distância da nossa residência. Ao presenciar essa dificuldade que passávamos, meu pai, Abílio Betelli, criou a primeira escola do distrito, instalada em sua propriedade, no Sítio Medeiros.” 

Com muito orgulho, seu Darci conta em detalhes sobre esse momento. “Inicialmente as aulas ocorriam em uma garagem do sítio e as professoras, que eram de outras regiões do estado de São Paulo, precisavam permanecer na casa do meu pai, devido à falta de meio de transporte para retornarem para suas residências.”

No entanto, por conta da grande adesão de alunos houve a necessidade de ampliar essa escola e, com isso seu Abílio Betelli teve outro gesto de generosidade, doando terreno para construção da escola, que funciona até hoje, conhecida como EMEFEI Abílio Betelli. “Esse fato é algo gratificante e me emociono bastante, pois beneficiou o bairro, além de contribuir para formação de muitos cidadãos, inclusive minha filha Solange e sobrinha Claudia, que lecionam na escola. Além do que, a minha neta, a pequena Ana Laura, de 4 anos, estuda nesta unidade escolar.”

Esporte e Religiosidade

As primeiras disputas de futebol, já com a emancipação político-administrativa, contavam com uma agremiação especial para o seu Darci, o Esporte Clube Medeiros, fundado em 1965 pela família Betelli e demais moradores do bairro. “Eu tive o prazer de atuar neste time e no primeiro campeonato vencemos o Torneio Início. A premiação foi uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, cedida pelo pároco, Murilo Moutinho, sendo esse, o fato motivador para a formação da comunidade católica Nossa Senhora Aparecida, com celebrações na escola até ocorrer a doação de um terreno, por parte da minha irmã Teresa Betelli, cedendo espaço para a construção da Igreja de Pedra, sendo hoje a principal referência do bairro”, contou.

Passado e Presente

No passado, a vida em Itupeva era mais tranquila. “Eu conhecia todos os moradores. No entanto, desde a emancipação em 1965, muitas pessoas se mudaram para Itupeva, por conta das indústrias que iniciaram suas atividades por aqui, além da abertura de rodovias.”

Com a chegada do progresso, o movimento de veículos foi intensificado, assim como estabelecimentos comerciais e novos condomínios residenciais. “Além disso, Itupeva está próxima de duas metrópoles, Campinas e São Paulo, abraçada por rodovias importantes, que contribuem para o escoamento de produção agrícola, sendo essa a minha profissão, enquanto produtor de uva.”

Seu Darci conta que essa paixão pela agricultura foi uma herança de família, passando de pai para filho. “A tradição do cultivo da uva ultrapassa 70 anos em minha família. Já comercializei meus produtos em São Paulo e, recentemente, a produção é vendida totalmente em Itupeva.”

Família

Quando se trata de família, seu Darci fala com alegria da esposa Aurora Betelli, com quem é casado há 33 anos. “Foram anos bem vividos. Mais de três décadas ao lado dela, desfrutando de uma história muito feliz, sobretudo em Itupeva, local que amo e que desejo muito progresso, conservação da natureza e crescimento com responsabilidade.”

Postar um comentário

0 Comentários

Leia também