China "tranca" cidade com 5 milhões de habitantes devido ao surto da variante Omicron



A China confinou os 5 milhões de habitantes da cidade central de Anyang na terça-feira para conter um surto da variante contagiosa Omicron do Covid-19, informou a mídia estatal.

As autoridades de Anyang anunciaram a medida na segunda-feira, quando ordenaram que os moradores ficassem dentro de casa e não dirigissem veículos particulares, informou a agência estatal Xinhua.

Resultados de tradução

Todos os negócios não essenciais foram fechados e uma campanha massiva de testes foi lançada "para responder à grave situação de controle epidêmico e impedir estritamente a propagação do surto do vírus omicron", publicou a agência.

Os casos em Anyang, na província de Henan, estão ligados a um surto contagioso na cidade de Tianjin, no norte, a 400 km de distância.

A rede estatal de CCTV relatou 58 novos casos em Anyang na terça-feira, embora não tenha ficado claro quantos deles estão associados à variante Omicron. O número total de infecções na cidade subiu para 84 desde sábado.

Anyang já havia restringido as viagens fora de seus limites, o que as autoridades dizem ser "garantir que o surto não se espalhe" para as áreas vizinhas.

A China, que no primeiro semestre de 2020 já controlava amplamente o vírus que apareceu em dezembro de 2019 no centro do país, segue uma política de zero covid baseada em fechamentos direcionados, restrições de fronteiras e quarentenas prolongadas.

Sua estratégia foi pressionada por um surto em Xi'an, o maior do país desde março de 2020, e pelo surgimento da variante Omicron. A cidade enfrenta sua terceira semana de quarentena para erradicar o surto que acumulou cerca de 2.000 casos.

As autoridades estão particularmente alertas à medida que os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim se aproximam, de 4 a 20 de fevereiro.

Postar um comentário

0 Comentários