Sete países que não celebram o Natal: em alguns cantar canções natalinas implica em prisão


No Natal, milhões de pessoas se reúnem para celebrar o nascimento de Jesus e a chegada do também popular Papai Noel. No entanto, em alguns países, comemorar o natal, é proibido e até punível com prisão. 

Esses sete países aprovaram leis que proíbem a celebração dos feriados por considerá-los contrários às suas próprias tradições religiosas. 


1. China

O gigante asiático declarou em 2018 que os cidadãos tinham a responsabilidade de promover a cultura e a tradição local, pelo que foram ordenados a não celebrar o Natal, chamando-o de "costume ocidental".


2. Coréia do Norte

Kim Jong-un , o ditador da Coreia do Norte , proibiu todas as comemorações relacionadas ao Natal no país asiático desde 2016. Em vez disso, ele decretou que os cidadãos deveriam comemorar o aniversário de sua avó, que nasceu em 1919. A mulher recebeu o título de “A Sagrada Mãe da Revolução”.


3. Irã

A população iraniana pertence principalmente ao ramo xiita do Islã, por isso só é permitido celebrar a véspera de Natal e o Natal em algumas cidades específicas, como Urumiyeh e Jui, no noroeste do país.


4. Arábia Saudita

É um país muçulmano da Ásia Ocidental, conservador e costuma restringir certos aspectos da vida de seus habitantes. Em 2015, o xeque Mohammed Al-Oraifi decretou que os muçulmanos não deveriam saudar os cristãos durante o Natal porque, se o fizessem, isso significava que eles “apoiavam sua fé e crença”, escreveu  Infobae .


5. Tajiquistão

O país asiático de maioria muçulmana tomou a decisão de aplicar leis nos últimos anos para impedir a celebração dos feriados de Natal. A pressão começou após o assassinato de um homem disfarçado de Father Frost, a versão russa do Papai Noel.


6. Brunei

Esta nação aplica controles muito mais rígidos. A lei indica que quem comemora o Natal pode ficar até cinco anos na prisão. A minoria que professa o cristianismo está proibida de usar decorações ou acessórios de Natal, e também não pode cantar canções natalinas.


7. Somália

No caso da Somália, na África oriental, a população cristã é uma minoria muito pequena. O xeque do país advertiu que aqueles que celebram o Natal só causariam ataques contra eles. Os habitantes são regidos pelo calendário islâmico, que tem datas muito diferentes das conhecidas nos países ocidentais.

Postar um comentário

0 Comentários