Em São Paulo, Mulher liga para a polícia pedindo para ‘fazer o cabelo’ e é resgatada de agressão



Nesta quinta-feira 9, a Polícia Militar de Araçatuba recebeu uma ligação de uma mulher pedindo para “fazer o cabelo”. O responsavél pela ligação entendeu o recado e encaminhou uma viatura para a casa da mulher.

Quando os policiais chegaram ao local, a mulher correu da casa e afirmou que foi ameaçada de morte e agredida pelo companheiro. O homem foi abordado e confessou que eles discutiram e ele a agrediu.

Ainda de acordo com a polícia, a vítima apresentava hematomas no rosto, foi socorrida e encaminhada ao Pronto-Socorro Municipal. Ela recebeu atendimento médico e foi liberada.

Em seguida, o casal foi levado à delegacia e o homem foi preso, permanecendo à disposição da Justiça.


Leia a descrição da conversa:


Atendente: Polícia Militar, emergência.

Vítima: oi, é. Trecho de áudio censurado.

Atendente: pois não, senhora.

Vítima: trecho de áudio censurado.

Atendente: não entendi, senhora. Como posso ajudar a senhora?

Vítima: não, é o endereço.

Atendente: ah, entendi. É o endereço da senhora.

Vítima: é que você me mandou para fazer o cabelo.

Atendente: como é o nome da senhora?

Vítima: não, é que você me mandou para passar o endereço para fazer o cabelo. É fundo. Tem um portãozinho.

Atendente: que bairro que é, senhora? Como é que é o nome da senhora?

Vítima: áudio censurado.

Atendente: que cidade que é?

Vítima: áudio censurado. É um salão de beleza.

Atendente: a senhora está precisando da Polícia Militar?

Vítima: tá bom?

Atendente: tá bom!

Vítima: pode ser?

Atendente: pode ser.

Vítima: não. É que você me mandou o endereço para fazer o cabelo, e eu estou te passando.

Atendente: endereço para fazer o cabelo? Tá bom, senhora.

Vítima: áudio censurado. É um portãozinho. Tem até a plaquinha.

Atendente: tá bom, senhora. Disponha da Polícia Militar. Tenha um bom dia.

Vítima: tá bom. Obrigada. Tchau, tchau.


Postar um comentário

0 Comentários