Cunhado de Juliana grava vídeo dizendo ser inocente






Reginaldo Barbosa (36), cunhado de jovem desaparecida Juliana de Souza Oliveira (27), se manifestou em um vídeo após ter a prisão decretada pela Polícia Civil de Campo Limpo Paulista. No vídeo, ele diz que é inocente e que irá se apresentar na Delegacia. 

"Eu estou dando essa nota para esclarecer, como estou sendo suspeito pelo desaparecimento de minha cunhada Juliana, eu estou disposto a colaborar com a polícia e com as investigações, até porque eu realmente não tenho ligação e não sei de nada com relação com o que está acontecendo. E eu prezo que esclareça logo essa situação porque a nossa família está sofrendo. Meu pai e minha mãe. E eu peço a Deus que ela apareça logo e que se resolva isso o mais breve possível, porque está complicado a nossa situação. E eu vou me apresentar por livre e espontânea vontade a polícia e dar os devidos esclarecimentos e colaboras com as buscas e depoimentos e tudo o que for necessário".

Entenda o caso:
 

A Polícia Civil pediu a prisão temporária do cunhado da jovem de 27 anos que desapareceu em Campo Limpo Paulista (SP) há uma semana. Juliana Souza de Oliveira saiu de casa no dia 1º de dezembro para fazer um exame de sangue em Várzea Paulista (SP), cidade que fica a cerca de oito quilômetros de distância.
Segundo o G1, o delegado Rafael Diório, responsável pela investigação, diz que, por causa do sumiço do homem junto com declarações contraditórias dadas por ele em depoimento à polícia, Reginaldo passou a ser investigado como suspeito.
"Na quinta-feira (2), quando foi feito o registro da ocorrência e se iniciaram as buscas neste loteamento, algumas declarações dele se encontraram contraditórias. Então, tendo em vista esse primeiro dia, além de ele sair de casa e não falar o local onde está, levou a polícia a tratá-lo como principal suspeito"
Reginaldo trabalha como segurança em um loteamento que fica às margens da Rodovia Edgard Máximo Zambotto, em Campo Limpo Paulista, onde foi registrado o último sinal do celular de Juliana. Durante as buscas, que tiveram início na semana passada, cães farejadores identificaram que a jovem esteve no local.
O cunhado, de 36 anos, ao ser ouvido pela polícia antes de desaparecer, aparentava muito nervosismo, segundo o delegado. Quando prestou depoimento, Reginaldo ainda não era apontado como suspeito pela investigação.

Postar um comentário

0 Comentários