Como organizar as finanças para as despesas de janeiro



Janeiro é, tradicionalmente, um período com mais gastos para os brasileiros. Isto porque o primeiro mês do ano é, também, o momento de pagar impostos, despesas escolares e, muitas vezes, um valor mais alto na fatura do cartão de crédito por conta das compras de fim de ano. Por isso, com 2022 batendo à porta, a recomendação é planejar o orçamento para garantir o equilíbrio financeiro.

A primeira orientação é avaliar a própria realidade financeira. “É válido fazer um diagnóstico da sua situação atual e um planejamento para os próximos meses, identificando todas as receitas e despesas previstas. Assim, fica mais fácil visualizar se você terá condição de quitar esses gastos à vista ou se será preciso parcelar”, recomenda o co-CEO da Meu Acerto, Pedro Lima. 

Quem está com as contas em dia, pode efetuar o pagamento à vista para obter descontos, como destaca a Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) em seu portal. Em janeiro estão previstas as cobranças do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e da matrícula escolar, que costumam oferecer esse tipo de incentivo.

Também é possível negociar descontos para o pagamento à vista nas lojas em que forem feitas as compras de uniforme e material escolar. Uma alternativa para economizar é reunir pais e responsáveis dos alunos para compras coletivas.

Com relação à fatura do cartão de crédito, a orientação é sempre quitá-la integralmente, pois o pagamento mínimo implica cobrança de juros que podem complicar a vida do consumidor. De acordo com a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), os juros altos fazem com que o cartão de crédito seja o principal motivo de endividamento dos brasileiros.


Disciplina para o parcelamento


Quem precisar dividir as despesas deve manter a disciplina para garantir que as parcelas sejam quitadas em dia. “O planejamento financeiro vai ajudar a identificar se alguns gastos podem ser cortados ou se será preciso buscar uma fonte de renda extra para arcar com os compromissos financeiros assumidos”, avalia Pedro Lima.

Os estudos sobre educação financeira podem auxiliar nesse processo. Os portais da Abefin, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e do Pago Quando Puder oferecem conteúdos gratuitos para o conhecimento na área.


Inadimplentes devem negociar dívidas


Caso o consumidor esteja inadimplente, negociar dívidas é o primeiro passo para alcançar o equilíbrio financeiro. Para isso, Pedro Lima destaca ser necessário garantir que as condições negociadas, como valor das parcelas e prazo, possam ser honradas.

Outra medida importante é saber se o nome foi negativado por conta da dívida em atraso. É possível consultar CPF grátis pela internet, fazer a verificação e tentar saldar o débito. O nome do consumidor é retirado dos cadastros dos órgãos de proteção ao crédito em até cinco dias após o pagamento integral ou da primeira parcela da negociação. 

É aconselhável realizar o monitoramento da situação, pois estar com o nome negativo causa restrições de acesso ao crédito, dentre outras dificuldades para o consumidor. “Começar o novo ano com o nome limpo é um passo muito importante para ter uma vida financeira mais organizada em 2022", afirma Pedro Lima.


Postar um comentário

0 Comentários