Alerta! Caracol invasor que causa meningite se espalha por quase todo o Brasil


Novos registros de aparições de uma espécie de caracol indiano foram feitas nas últimas duas semanas em 11 estados do Brasil por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Além de impactos para hortas e jardins, os estudiosos conseguiram confirmar a possibilidade desses indivíduos serem vetores de Angiostrongylus spp, o verme causador da angiostrongilíase e meningite eosinofilica em animais e humanos.

Os hábitos destes caracóis são noturnos. "Ele sai de noite, esteja chovendo ou não", explica. "Se alimenta de vegetais e restos de matéria orgânica, já registramos ele se alimentando de fezes de animais. Ele pode se esconder atrás de telhas, embaixo de lona, em locais escuros e úmidos".
Os caracóis indianos costumam surgir em grande quantidade e são do tamanho de uma moeda de R$ 1. Além do tamanho, eles se diferenciam de outras espécies pela concha achatada e um chifre no final do pé dele.
A Coordenadora da pesquisa e mestre em biodiversidade Larissa Teixeira, de 25 anos, informou que após a divulgação do surgimento da espécie no Brasil, diversas pessoas entraram em contato com ela para alertar sobre o encontro do caracol, da espécie Macrochlamys. Até então, só havia registro em Cubatão e Santos, no litoral de São Paulo, e em Maringá e Matinhos, no Paraná.
O último foi em Santos, nesta quarta-feira (8), por uma moradora do bairro Campo Grande, que encontrou um deles dentro do prédio onde reside. Além de Santos e Cubatão, há aparições também em Itanhaém, São Vicente e Praia Grande. "Inicialmente achávamos que a invasão era apenas localizada no sul e no sudeste, mas estes novos registros enviados por pessoas voluntárias nos deu uma boa dimensão do quão grave está sendo essa invasão. Com isso, nós começamos a levantar novas perguntas e estamos trabalhando para respondê-las", explica.

Postar um comentário

0 Comentários