Empresário de 64 anos é indiciado por estupro de menina de 9 anos - Itupeva Agora

Agora

11/19/2021

Empresário de 64 anos é indiciado por estupro de menina de 9 anos



Um empresário de 64 anos foi indiciado pela Polícia Civil de Jundiaí após ser denunciado pelo pai de uma menina de nove anos, acusado de abusar sexualmente da criança na última terça-feira (16). 

O caso foi registrado no dia seguinte, depois que a mãe da menina resolveu contar para o marido sobre o que a filha lhe havia relatado. Segundo a mulher, ela ficou receosa de chamar a polícia no dia do crime e aguardou o marido tomar providência.

Policiais militares do 11º Batalhão do Interior foram acionados e conduziram as partes ao Plantão Policial. Ali, o acusado negou o abuso, foi indiciado e liberado, já que não estaria em estado de flagrante.

Já os pais disseram que a menina fora abusada por duas vezes no dia 16. Eles contaram que o acusado acompanhava a esposa em uma visita aos declarantes (o casal seria conhecido da família) e abordou a criança, que brincava na escada da residência, colocando a mão em suas partes íntimas.

Informaram que a filha contou que, neste momento, pediu para o adulto parar e o chamou de “nojento”, correndo para o quintal, onde a tia está erguendo uma moradia.

O empresário teria ido atrás da menina e aberto o cinto da calça. Em seguida, ele teria retirado o pênis para fora e segurado a mão da menor com força, obrigando-a a encostar em seu membro.

Ainda conforme o relato da filha, a menina correu para casa após o segundo abuso e contou para a mãe, que resolveu aguardar a chegada do marido para relatar o ocorrido.

Com os fatos narrados, o delegado plantonista determinou o registro de um boletim de ocorrência de estupro de vulnerável. O crime é previsto pelo artigo 217-A do Código Penal e tem pena de até 15 anos de reclusão ao autor de “conjunção carnal” ou prática de “outro ato libidinoso contra menor de 14 anos”.

Já nesta quinta-feira (18), o boletim foi encaminhado para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), cuja delegada titular deve instaurar inquérito para dar prosseguimento do caso. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Notícias relacionadas