Pedreiro que matou e concretou jovem confessa o crime e admite que calcinhas encontradas na cena do crime são suas

 


O pedreiro de 56 anos suspeito de ter matado e concretado a uma parede o corpo da estudante Maria da Glória Rodrigues, de 25 anos, confessou o crime e também admitiu, em depoimento à Polícia Civil de São Vicente (SP), que a sacola de calcinhas encontrada no local do crime pertencem a ele.

Ele afirmou à polícia que gosta de usar as roupas íntimas femininas e o marido da vítima confirmou que nenhuma das peças era da esposa. 





Ele confessou que usou drogas e teve relação sexual com a vítima, antes de a estrangular com uma camiseta e concretar o corpo em uma obra em construção na Rua Senador Lúcio Bittencourt, no bairro Esplanada dos Barreiros, em São Vicente. 

Ele foi preso por ocultação de cadáver em flagrante na terça-feira (5) e um homem de 35 anos também foi detido, sob suspeita de ter auxiliado no crime. 

A polícia ainda não identificou qual a motivação do crime. A vítima era casada e tinha duas filhas.

Nas redes sociais, familiares e amigos lamentaram o brutal assassinato da jovem, que era descrita como alegre e religiosa.

Com informações do Metrópoles e de O Globo.

Postar um comentário

0 Comentários

Leia e se divirta!