Jovem que matou e mutilou irmão está há mais de 1 ano sem visitas em hospital psiquiátrico

 



Após ser diagnosticada com esquizofrenia, a jovem Karina Aparecida da Silva Roque, que matou e mutilou o irmão Karina Roque, de de cinco anos no bairro Gabriel Piza, em São Roque (SP), em 2019, está há mais de um ano sem receber visitas no Hospital Psiquiátrico de Franco da Rocha I, onde foi internada em maio de 2020.


De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), informou que a jovem está no convívio normal com outros pacientes e que recebe assistência médica, social, psicológica e medicamentosa.


Karina, confessou que matou o irmão, Karina Roque, asfixiado, na ápoca ela tinha 18 anos. Depois que o menino já estava morto, segundo o boletim de ocorrência, ela contou que furou os olhos, decepou e comeu o pênis e ainda queimou os pés dele. Segundo a Polícia Civil, o laudo do Instituto Médico Legal (IML) revelou que Maycon sofreu algumas das lesões enquanto ainda estava vivo.


O caso foi descoberto quando a mãe dos irmãos chegou em casa e foi impedida de entrar. A mulher chamou um cunhado, que arrombou a porta, encontrando o menino morto, com sinais de tortura e cercado por velas. A suspeita foi contida pelo tio, que acabou atingido por uma pedrada.


Karina foi denunciada por homicídio qualificado, tentativa de homicídio contra o tio, ocultação de cadáver, alteração do local dos fatos e crime ambiental por ter mordido um cachorro, que foi salvo por pessoas que flagraram a agressão.


Em 2020 o juiz autorizou que a jovem fizesse um exame de sanidade mental. O resultado, divulgado em fevereiro de 2020, apontou que ela tem esquizofrenia e é considerada inimputável, quando, por doença psíquica, não se pode punir a ré de acordo com o processo de execução penal.

Postar um comentário

0 Comentários

Leia e se divirta!