Após pastores roubarem R$ 3 milhões de dízimos, Igreja universal leva caso a polícia




A Igreja acionou a polícia após constatar prejuízo milionário em seus cofres. Grupo de 12 pastores roubava dinheiro doado por fiéis à instituição e lavava.


O Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Decor) da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) investiga um esquema criminoso em que 12 ex-pastores da Igreja Universal do Reino de Deus, teriam roubado cerca de R$ 3 milhões em dízimos pagos à instituição.


A organização criminosa organizada pelos ex-pastores abriu empresas de fachada para lavar o dinheiro vindo do dízimo dos fiéis, principalmente no chamado “culto dos 318”, destinado a empresários e pessoas que querem melhorar a vida financeira.


O ex-pastor também é investigado pela Polícia Federal nas investigações sobre Glaidson Acácio dos Santos, o Faraó dos Bitcoins. De acordo com as investigações os pastores teriam abastecido o esquema do “Faraó” para lavar dinheiro com a criptomoeda.


A Universal, que acionou a polícia após constatar o prejuízo nos cofres, demitiu os 12 pastores.

Postar um comentário

0 Comentários

Leia e se divirta!