Região - Pai de menino que morreu atropelado diz que família não consegue mais ficar em casa

A dor da perda se faz presente na família do menino Brayan Henrique Santos Andrade, de oito anos, que há uma semana morreu após ser atingido por um motorista embriagado em um ponto de ônibus, em Campo Limpo Paulista (SP). O outro que veio a falecer foi Lorenzo Daniel Rocha Bezerra, de apenas 11 meses. Em entrevista ao Portal G1, Diogo Andrade, pai de Brayan, relatou que a dor pela ausência do filho aumenta a cada dia, e o que antes animava a casa, Brayan, agora é o motivo do vazio: “Eu recebi a notícia dessa tragédia quando estava no trabalho. Fomos até o local e acabamos recebendo a pior notícia do mundo, que machucou a gente e tirou um pedaço de nós. Estamos arrasados, não conseguimos ficar na nossa casa, colocamos tudo à venda, pois não conseguimos mais ficar lá.” "Estamos tentando fazer de tudo para esquecer, mas a dor, a ferida é grande e sempre vai ser. Ele será sempre o meu filhão, sempre será o amor da minha vida. Ele(motorista) destruiu a vida da gente, acabou com a vida da gente. Espero que a justiça seja feita, mas que venha a ser a justiça de Deus", completou Diogo. O acidente ocorreu no dia 9 de setembro. Oito pessoas foram atingidas, entre elas cinco crianças. O motorista Rogério Giugni, de 39 anos, teve a prisão preventiva decretada por homicídio doloso.

Postar um comentário

0 Comentários

Leia e se divirta!