A Que chocolate é bom para caramba, (quase) ninguém discute! Mas BOM PRA CACHORRO, não é! Com o feriado de Páscoa, é fundamental ter em mente que os doces, principalmente os chocolates, são extremamente tóxicos para o animal.

Ixi! Ele comeu sem você perceber? Sempre tenha o número de um médico-veterinário em mãos para qualquer ocorrência. Dependendo da quantidade e do tipo de chocolate e, principalmente, dos sintomas apresentados pelo animal, essa ingestão acidental pode ser considerada uma emergência.

“O cão pode apresentar vômitos, diarreia, taquicardia, taquipneia, convulsões e, em casos mais graves, insuficiência hepática e morte. Tudo vai variar de acordo com o volume de chocolate ingerido pelo animal”, explica o médico-veterinário Marcelo Weinstein Teixeira, conselheiro efetivo do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV).




O chocolate possui uma substância chamada teobromina, que é naturalmente encontrada no cacau. Ela é metabolizada sem problemas pelo organismo humano, mas não por cães e gatos, o que torna essa substância tóxica para os nossos pets.

“Quanto maior a quantidade de cacau na composição do chocolate, maior a porcentagem de teobromina e, com isso, maiores serão os efeitos. Por esse motivo, quanto mais amargo (mais escuro) o chocolate, mais teobromina ele tem e, consequentemente, maior o risco para a saúde do animal”, esclarece Teixeira.

O médico-veterinário alerta que a teobromina pode permanecer no organismo por até seis dias, por isso, mesmo que o animal coma pequenas quantidades, mas com frequência, ele pode acabar se intoxicando ao longo do tempo se for exposto constantemente à substância tóxica.

No tratamento, o médico-veterinário vai cuidar dos sintomas apresentados pelo paciente, visando a estabilizá-lo e evitar que ele evolua para um quadro mais crítico.




“Em alguns casos, a conduta adotada consiste em lavagem gástrica, fluidoterapia, e monitoração de pressão arterial, mas é necessário acompanhamento do profissional para saber qual a real necessidade do seu animal”, diz Teixeira.

Ele ressalta que, além do chocolate, estão na lista de alimentos proibidos para animais uva, abacate, alho, cebola, alimentos fritos e gordurosos e sementes.

“Oferecer uma alimentação não balanceada para animal pode levá-lo à obesidade, a deficiências nutricionais, a problemas gastrointestinais e dermatológicos. Por isso, é importante alimentá-los com ração de qualidade, que seja condizente com sua necessidade nutricional”, encerra.

Assessoria de Comunicação do CFMV