Ticker

6/recent/ticker-posts

Quem é Lilith? Ela aparece na Biblia?


 Lilith, foi uma deusa ou demónio feminino adorada na Mesopotâmia e na Babilônia, associada com ventos e tempestades, que se imaginavam ser portadores de enfermidades e morte.

Lilith é também uma figura da mitologia judaica, mencionada originalmente no Talmude hebraico do exílio da Babilónia (Séc. V a III a. C. ). Na Idade Média, Lilith é apresentada como a primeira mulher de Adão, criada ao mesmo tempo e da mesma forma que este.

Lilith aparece como um demônio noturno na crença tradicional judaica. Na crença judaica, ela é tratada como a primeira mulher da personalidade bíblica Adão, aparecendo, em uma passagem no Talmud.


Na Biblia Cristã, Lilith não é diretamenta citada.


O primeiro capítulo de Gênesis apenas descreve como foram criados os céus, terra, animais, homem e mulher naqueles períodos de tempo chamados de "dias". Na Biblía KJA em Gênesis 1:27 diz: Deus, portanto, criou os seres humanos à sua imagem, à imagem de Deus os criou: macho e fêmea os criou., não descreve que Deus criou outra mulher mas sim que foi nesse ponto que fez o homem e mulher.

Em Gênesis 2:4-7 há um relato de como Deus criou os humanos com um pouco mais detalhe, porque senão teria existido outro homem além de Adão: 4 Esta é a história do início da humanidade, no tempo em que Yahweh Deus criou o Céu e a Terra: 5 Não havia ainda brotado nenhum arbusto sobre a terra e nenhuma erva dos campos tinha ainda crescido, porque o Senhor não havia feito chover sobre a terra e não havia homem para cultivar o solo. 6 Entretanto, fontes de água brotavam da terra e regavam toda a superfície do solo. 7 Então o Senhor modelou o ser humano do pó da terra, feito argila, e soprou em suas narinas o fôlego de vida, e o homem se tornou um ser vivente.


A Lenda


Por 4.000 anos, Lilith vagou pela terra, figurando na imaginação mítica de escritores, artistas e poetas. Suas origens sombrias estão na demonologia babilônica, onde amuletos e encantamentos eram usados para combater os poderes sinistros desse espírito alado que atacava mulheres grávidas e crianças. A lenda de Lilith em seguida migrou para o mundo dos antigos hititas, egípcios, israelitas e gregos. Ela faz uma aparição solitária na Bíblia, como um demônio do deserto evitado pelo profeta Isaías. Na Idade Média, ela reaparece em fontes judaicas como a terrível primeira esposa de Adão.

Na Renascença, Michelangelo retratou Lilith como uma metade mulher, metade serpente, enrolada em torno da Árvore do Conhecimento. Mais tarde, sua beleza cativaria o poeta inglês Dante Gabriel Rossetti. “Seu cabelo encantado”, escreveu ele, “foi o primeiro ouro”. O romancista irlandês James Joyce a elegeu como a “padroeira dos abortos”. 

Feministas modernas celebram sua ousada luta pela independência de Adão. Seu nome aparece como o título de uma revista feminina judia e de um programa nacional de alfabetização. Um festival anual de música que doa seus lucros para abrigos de mulheres agredidas e institutos de pesquisa de câncer de mama é chamado de Feira de Lilith.

Na maioria das manifestações de seu mito, Lilith representa o caos, a sedução e a impiedade. 

O antigo nome “Lilith” deriva de uma palavra suméria para demônios femininos.


Divergência de interpretação sobre ela ser esposa de Adão


Existem diferentes interpretações sobre os fatos narrados no livro de Gênesis para sustentar a ideia também descrita no alfabeto de Ben-Sira. Em Gênesis 1, são descritos os detalhes da criação do mundo a partir das trevas e das águas, sendo no sexto dia a criação do homem e da mulher. No capítulo 2 de Gênesis há uma outra narração partindo da terra, podendo ser entendidos como dois eventos diferentes. O segundo foi escrito no tempo de Salomão e o primeiro, muito depois, no Exílio da Babilônia.

O primeiro versículo de Gênesis capítulo 2 traz a conclusão dos últimos versículos do capítulo 1 E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto. - Gênesis 1:31 Assim os céus, a terra e todo o seu exército foram acabados. E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito (Gênesis 2: 1-2).

Sabendo-se que a divisão dos capítulos da Bíblia só veio a ocorrer muitos anos depois, não é possível afirmar que os eventos de Gênesis 2 vieram muito tempo depois dos ocorridos em Gênesis 1, porém entende-se que, a partir de Gênesis 2: versículo 4, há uma outra narrativa do que ocorreu em Gênesis 1. Na primeira o homem é criado por último, como ápice da criação, enquanto na segunda o homem é criado em primeiro lugar e tudo é feito para ele: E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente. E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele.

Outra citação contrária é a que Adão diz Esta sim, é ossos dos meus ossos[...], passando a ideia de Agora sim, está é minha verdadeira mulher..., pois se observar em todas as traduções (inglês, grego ou latim) não temos esta expressão esta sim, ou agora sim,. Em todas as traduções temos a versão -- E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos[...] (Gênesis 2: 23). Judit Blair (2009) demonstra que todas as oito criaturas, que são mencionadas, são animais naturais.

Postar um comentário

0 Comentários

Leia e se divirta!