Garota de 12 anos morre de ataque cardíaco causado por piolhos - Itupeva Agora

Agora





quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

Garota de 12 anos morre de ataque cardíaco causado por piolhos


DETALHES surgiram da morte horrível de uma menina de 12 anos abandonada que foi atacada por uma infestação de piolhos tão grave que desencadeou um ataque cardíaco.

Os pais de Kaitlyn Yozviak, 12, de Macon, na Geórgia, chegaram a ser presos por assassinato - mas foram libertados sob fiança. 

Mary Katherine "Katie" Horton e John Joseph Joey Yozviak foram condendos a $ 100.000 de fiança.

Yozviak e Horton são acusados de crueldade contra crianças e assassinato em segundo grau.

Os investigadores disseram em setembro que a menina, Kaitlyn Yozviak, pode ter morrido por conta de uma grave infestação de piolhos que pode ter durado anos.

O agente especial do Georgia Bureau of Investigation (GBI), Ryan Hilton, testemunhou que os registros médicos mostram que Kaitlyn morreu de parada cardíaca por conta de uma anemia grave, causada pela perda de piolhos. As picadas repetidas de piolhos diminuíram os níveis de ferro no sangue, causando anemia e desencadeando o ataque cardíaco.

O Sr. Hilton, da GBI, testemunhou que, no momento de sua morte, Kaitlyn tinha a infestação de piolhos mais grave que o escritório do GBIs já havia visto, e pode ter durado por pelo menos três anos. 

A jovem não tomava banho por uma semana antes de ser morta e foi forçada a viver em um quarto imundo com ratos pululando sobre seu colchão, bichinhos de pelúcia e móveis.

Especialistas disseram que sua condição era tão terrível que ela teria vivido em constante agonia.

Documentos da Divisão de Serviços à Família e Crianças da Geórgia (DFSC) mostram que os dois irmãos de Kaitlyn foram removidos da casa da família por causa de condições insalubres.

Enquanto os vizinhos disseram aos agentes que não viram Kaitlyn brincando pela casa por até dois meses antes de sua morte em agosto.

Em 2008, o DFCS abriu um processo na época em que Kaitlyn nasceu, depois que os pais decidiram não entregá-la para adoção.

A agência não recebeu nenhum relatório sobre a família até 2018, onde os arquivos mostram uma ligação indicando que a casa estava infestada de insetos com excesso de gatos e condições perigosas.

O promotor público assistente, Brent Cochran, disse à WMAZ-TV que os promotores ainda aguardam os resultados da autópsia e os exames médicos de Kaitlyn.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Notícias relacionadas