Vítima de estupro e cárcere privado durante 26 anos era ameaçada de morte por homem que fingia ser seu pai - Itupeva Agora

Agora





quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Vítima de estupro e cárcere privado durante 26 anos era ameaçada de morte por homem que fingia ser seu pai

Durante mais de duas décadas, uma mulher foi mantida em cárcere privado e foi estuprada por um homem no município de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Rio. Nesta terça-feira (29), o acusado, de 67 anos, foi preso por agentes da Polícia Civil. Sua prisão preventiva foi decretada pela Justiça após os investigadores da 132ª DP (Arraial do Cabo) terem descoberto que ele vinha ameaçando a vítima.

De acordo com informações da Polícia Civil, a vítima, hoje com 38 anos, foi levada pelo acusado para sua casa, na cidade da Região dos Lagos, quando ainda tinha 12 anos. A então criança vivia nas ruas da cidade do Rio de Janeiro, pedindo dinheiro. O acusado prometeu à vítima lhe dar emprego, abrigo e também comida. Em seu depoimento à Polícia Civil, a mulher afirmou que passou a sofrer abusos sexuais e a ser ameaçada pelo acusado dois dias após ter chegado à residência dele.


Segundo ela, o homem dizia que se ela contasse à família sobre os abusos sexuais, seria devolvida para as ruas. Após anos de abusos, a mulher — já maior de idade — engravidou do estuprador.

Quando a menina chegou a sua casa, o acusado teria inventado para a família que ela era sua filha de um antigo relacionamento. A criança passou a ser tratada como filha pela esposa do homem e como irmã pelo filho do casal.

Ainda de acordo com informações da polícia, além de abusar sexualmente da vítima, o acusado passou também a agredi-la com socos e a ameaçá-la de morte quando ela começou a namorar e tentou deixar a casa da família. Na ocasião, a esposa do idoso também passou a ser agredida.

De acordo com a delegada titular da 132ª DP, Patrícia de Paiva Aguiar, o acusado proibia a vítima de levar uma vida normal. Em algumas ocasiões ele chegava a permitir que a mulher saísse, mas ela não tinha coragem de denunciá-lo porque era ameaçada. Atualmente, a vítima vinha sendo mantida em cárcere privado e tomou coragem para contar o que sofria para o filho biológico do idoso, que ela considera seu irmão. O homem, então, procurou a Polícia Civil para denunciar o pai, dando início às investigações dos crimes.

— Depois de anos de sofrimento, essa vítima, finalmente, teve coragem de contar para a família o que vinha acontecendo e pediu ajuda do irmão para salvá-la, pois o agressor a mantinha em cárcere privado — explica a delegada.

O homem foi indiciado por estupro de vulnerável, cárcere privado e coação no curso do processo, crimes cujas penas, somadas, podem chegar a 24 anos de prisão. A Polícia Civil pediu sua prisão preventiva após informações de que ele vinha ameaçando a vítima ao longo das investigações da delegacia de Arraial do Cabo.

Ainda de acordo com a delegada Patrícia Aguiar, apesar do longo período em que a situação perdurou, membros da família não desconfiavam dos abusos e nem mesmo que o filho da vítima era fruto de um estupro cometido pelo acusado.

— Nunca desconfiaram que o filho era dele (do idoso). Ele era agressivo e se escondia na capa de um pai protetor — analisa a delegada responsável pelo caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Notícias relacionadas