Países como Venezuela e Cuba ajudam indiretamente no alto preço do arroz no Brasil - Itupeva Agora

Agora

sábado, 12 de setembro de 2020

Países como Venezuela e Cuba ajudam indiretamente no alto preço do arroz no Brasil









A Venezuela é uma das responsáveis pela alta do preço do arroz no Brasil, assim como Peru, Senegal, Costa Rica, Cuba, e outros países, que aumentaram as exportações do produto neste ano, chegando próximo do recorde histórico que foi alcançado em 2012. Isso é o que aponta o sistema de dados Comex Stat do Ministério da Economia, que mostra uma alta de 81,4% na comparação com o mesmo período de 2019.

Na lista dos países que mais exportam, a Venezuela aparece em primeiro disparado, com 20% do total de todas as exportações de arroz que sai do Brasil. O envio de arroz para o país vizinho subiu 45,9%, alcançando US$ 83,2 milhões de janeiro a agosto.








Em segundo aparece o Peru, com pouco mais da metade da Venezuela (US$ 42,6 milhões), seguido de Senegal (US$ 29,8 milhões), Costa Rica (US$ 29,1 milhões) e Cuba (US$ 27,4 milhões), fechando a lista dos cinco primeiros entre os 109 países que exportam arroz do Brasil.

Fonte: Ministério da Economia









Tiago Barata, diretor-executivo do Sindarroz (Sindicato da Indústria do Arroz do Rio Grande do Sul), sobre a Venezuela, disse: “O que eu vejo é que a relação entre Brasil e Venezuela é consolidada, influenciada por questões comerciais. Os operadores brasileiros têm know-how [conhecimento] de venda para a Venezuela, inclusive de outros produtos. Não é nada especial. Eles compram bastante do Uruguai e do Paraguai também”.

Esse grande aumento nas exportações, segundo o UOL, é por conta da valorização do dólar e do baixo preço do arroz no mercado interno. Segundo ela, com o preço defasado no Brasil, os produtores aproveitaram para exportar e falta do produto dentro do país colaborou para a alta do preço para os consumidores brasileiros.








Com isso, mais o fato de que grandes produtores de arroz mundial, como a China, reduziram as exportações para valorizar o mercado interno, o produto brasileiro passou a ser bastante visado. “O arroz brasileiro é muito barato. O produtor estava muito desvalorizado, teve sequência de safras no prejuízo e alguns foram buscar outras culturas, como a soja. Entendo [o aumento nas exportações] como um movimento natural e circunstancial. É uma tempestade perfeita, com dólar alto e preço do produto em baixa”, avalia Andressa Silva, diretora-executiva da Associação Brasileira da Indústria do Arroz.

Fontes: Ministério da Economia / CNN / UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad