Contran proíbe radar escondido e órgãos devem comprovar que medidor é necessário - Itupeva Agora

Agora

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Contran proíbe radar escondido e órgãos devem comprovar que medidor é necessário






Nesta quarta-feira, 10, o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) publicou uma resolução que muda as regras para a instalação de radares de velocidade e a aplicação de multas a partir destes, o texto também proíbe o uso de radares ocultos no país. Todos precisarão estar visíveis aos motoristas. A regra vale tanto para radares fixos quanto móveis e entrará em vigor no dia 1º de novembro de 2020.

A resolução diz ainda que os radares precisam ser aprovados pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) e que a autoridade de trânsito precisa, para instalar novos aparelhos, “comprovar a necessidade de controle ou redução do limite de velocidade no local, garantindo a visibilidade do equipamento“.




“O que se pretende é fazer com que os limites de velocidade sejam obedecidos em vez de simplesmente multar o condutor”, diz o presidente do Contran e diretor-geral do Denatran, Frederico Carneiro. De acordo com ele, o objetivo é “diminui a chance de ocorrerem acidentes”.

O Contran determina também que as chamadas lombadas eletrônicas (medidor com painel que informa a velocidade do veículo) sejam instaladas apenas “em trechos considerados críticos“.

As mudanças atendem a 1 pleito antigo do presidente Jair Bolsonaro. Ao longo do ano passado, o presidente reclamou reiteradas vezes do número de radares em operação e disse haver uma “indústria da multa” no Brasil. Chegou a proibir o uso de radares móveis, mas a medida foi revogada depois de decisão judicial.

O Contran determinou ainda que as autoridades de trânsito divulguem na internet a localização de todos os trechos fiscalizados. A publicação deverá ser feito no site do órgão com circunscrição sobre a via.

Com Informações do Poder360 e Estadão


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad