Câmeras de segurança em cemitério flagram suposto espírito de criança assassinada aos dois anos - Itupeva Agora

Agora

terça-feira, 18 de agosto de 2020

Câmeras de segurança em cemitério flagram suposto espírito de criança assassinada aos dois anos






Uma postagem realizada por Saundra Gonzales, uma estadunidense que teve a filha de dois anos assassinada, chamou a atenção nas redes sociais e levantou uma grande discussão. Tudo porque a mulher postou fotos que supostamente mostram o espírito da filha, Faviola Rodriguez, capturadas por uma câmera do cemitério onde a criança foi enterrada.
Saundra explicou que as câmeras foram instaladas para evitar furtos de objetos deixados para homenagear os mortos e imagens de uma pequena garota foram capturadas em uma das noites. Os funcionários do cemitério reconheceram Faviola e mostraram a imagem à mãe, que foi visitar o local no dia seguinte.
“Eu imediatamente explodi em lágrimas quando vi a foto e fiquei sem palavras porque EU SEI que é a minha filha! Não tem um pingo de dúvida no meu coração, porque parece com ela da cabeça aos pés, do cabelo às roupas e sandálias”, contou ela.






Saundra disse também acreditar que o espírito da filha foi buscar o homem do túmulo ao lado, cuja família ela conheceu. “Eu acredito no meu coração que ela foi enviada para confortá-lo e deixá-lo saber que está bem agora. Na última foto é possível ver duas figuras: um homem alto e uma criança indo embora! Ela levou ele para casa com nosso poderoso Senhor”, concluiu.
Crime ainda não totalmente solucionado
Após ficar com Lalo Anthony Castrillo, namorado da mãe de Faviola na época, a criança foi encontrada morta em 6 de setembro de 2018, aos dois anos. Equipes médicas disseram que ele tinha hematomas na cabeça, rosto e costelas. O homem foi preso por abuso infantil, mas saiu em liberdade condicional um ano depois e segue livre.
No post em seu Facebook, Saundra explicou como foi o crime, ainda não solucionado. “Ela tem agora quatro anos de idade. Em 6 de setembro de 2018, ela foi assassinada e o assassino ainda está livre. Todo dia é difícil para nós, porque ouvimos constantemente que temos que ser ‘pacientes’ e essas coisas ‘levam tempo'”, postou.
“Em setembro vai completar dois anos e o julgamento já foi continuado pela quarta ou quinta vez!! Isso me fez cheia de ódio e raiva pelo nosso sistema, porque está falhando com a minha filha Faviola, com outras crianças vítimas de abuso e todas as crianças no nosso estado!”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad