Taxa de recuperação da Covid-19, chega a 92,87% em Itupeva - Itupeva Agora

Agora

segunda-feira, 13 de julho de 2020

Taxa de recuperação da Covid-19, chega a 92,87% em Itupeva





Itupeva está com taxa de recuperação de 92,87% nos casos de Coronavírus na cidade. Até o momento a cidade apresenta 533 casos confirmados, 495 recuperados, 09 pessoas em casa, 12 internados e 17 óbitos. Em questão de números por bairro, o Rio das Pedras com 48 casos e a Vila São João com 45, lideram o número de pessoas que foram infectadas pelo Coronavírus na cidade. Já o Parque das Hortensias com 36, o Portal Santa Fé com 31 e os Cafezais com 26 aparecem na sequencia.




Itupeva e Jundiaí podem avançar direto da fase Vermelha para a Amarela e reabrirem bares e restaurantes






O secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, disse que a região de Campinas poderá avançar da fase vermelha para a amarela, sem voltar a passar pela laranja, se os indicadores da pandemia melhorarem e se enquadrarem nos critérios estabelecidos para a terceira fase do Plano SP de flexibilização econômica. Nessa fase, menos restritiva, é permitida a abertura de clubes sociais, restaurantes, bares e salões de beleza.
Na próxima sexta-feira, o governo do Estado fará nova atualização das regiões no Plano SP e anunciará em que fase Campinas estará. Segundo Vinholi, a melhoria dos índices do Vale do Paraíba permitiu que essa região, que está na fase vermelha, avance para a amarela a partir de segunda-feira.



O pedido para avaliação da possibilidade para o avanço da fase vermelha para a amarela foi feito ontem pelo prefeito Jonas Donizette ao Comitê de Contingência da Covid-19 do Estado. Segundo o prefeito, a cidade está resolvendo questão de ofertas de leitos, o que permitirá redução nas taxas de ocupação de leitos de UTI - essa taxa é o principal indicador que o Estado utiliza para definir em qual fase do plano uma região está.
O prefeito informou que desde ontem a Rede Mário Gatti de Urgência e Emergência Hospitalar disponibilizou novos leitos de UTI para pacientes com Covid-19 no Hospital Ouro Verde. No total serão 48 novos leitos - os outros 38 são leitos de retaguarda. Segundo o secretário de Saúde, Carmino de Souza, mais dez leitos de UTI entraram em operação no Hospital de Clínicas da Unicamp também abriu mais dez leitos novos de UTI.
"Estamos colocando à disposição da comunidade de Campinas mais 20 leitos de UTI (somando aos do Ouro Verde), fora os leitos de retaguarda. Hoje temos uma estrutura bastante adequada", disse.
Sem mudança
A região de Campinas permanecerá por pelo menos mais uma semana na fase vermelha do Plano SP de retomada das atividades econômicas. A taxa de ocupação de leitos de UTI nas 42 cidades da região de saúde está superior a 80%. O prefeito Jonas Donizette afirmou que considera prudente a decisão do Estado, para evitar constantes aberturas de atividades seguidas de fechamentos. O governador João Doria anunciou ontem a prorrogação da quarentena no Estado até 30 de julho.



Além de Campinas, permanecem na fase vermelha de restrição total de atividades não essenciais, Araçatuba, Franca e Ribeirão Preto. Segundo os indicadores de saúde divulgados ontem, ocupação de leitos para atendimento a pacientes graves de Covid-19 é satisfatória na maioria das regiões, mas há alerta em relação a cidades dos distritos de saúde de Campinas (80%), Franca (85%) e Ribeirão Preto (88%), além de atenção especial a Barretos (78%), Piracicaba (78%) e Sorocaba (74%).
Na Região Metropolitana de Campinas (RMC), a única cidade que passará à fase laranja será Engenheiro Coelho, que pertence à região de Saúde de Piracicaba, que foi autorizada a avançar no plano de flexibilização a partir de segunda-feira por conta da melhoria nas taxas de ocupação de leitos de UTI.
Assim, apenas os serviços essenciais continuarão funcionando nos municípios da região de Campinas. Quem não cumprir as regras de funcionamento será multado em R$ 1,4 mil, valor que dobra na reincidência e, na terceira atuação, ao fechamento da atividade até o final da quarentena.
O comércio de rua e shoppings que só poderão atender pelos sistemas de delivery e drive-thru.
Governo nega separação do Circuito das Águas da região
O Circuito das Águas, o Aglomerado Urbano de Jundiaí e a região Bragantina serão tratados dentro das regras atuais, ou seja, continuarão sendo avaliadas dentro da região de Saúde de Campinas para a definição de onde se enquadram no Plano SP, disse ontem o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.
Essas regiões pleitearam ao Comitê de Contingenciamento da Covid-19, tratamento diferenciado dentro do plano, porque têm melhores indicadores de Saúde em relação à Covid-19, tanto em casos confirmados, como em mortes e de ocupação de UTIs.



"O Plano SP estabelece a divisão por regiões de saúde e vamos seguir assim", disse Vinholi. O prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Arantes Machado (PSDB), postou ontem nas redes sociais que recebeu do Comitê a informação que a demanda será analisada dia 16. "Não se trata de discutir abertura e fechamento de atividades, mas que nossos dados de referência mostram que temos condições de uma avaliação diferente de outras regiões", disse.
Segundo ele, o Aglomerado Urbano de Jundiaí, formado por sete cidades, tinha ontem uma taxa de ocupação de UTI de 71% e 35% dos respiradores disponíveis não estavam sendo usados. Em leitos de enfermaria a taxa de ocupação estava em 79%. "Isso mostra que nossa realidade é diferente da situação da região de saúde de Campinas", afirmou.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Notícias relacionadas