Brasileira entra na Justiça contra príncipe de Mônaco para reconhecer paternidade da filha - Itupeva Agora

Agora

sábado, 11 de julho de 2020

Brasileira entra na Justiça contra príncipe de Mônaco para reconhecer paternidade da filha












Uma brasileira de 34 anos entrou com uma ação contra o príncipe Albert II de Mônaco, 62, para o reconhecimento da paternidade de sua filha, de 15 anos. Segundo a agência de notícias italiana Ansa, a mulher, que mora na Itália e prefere não se identificar, diz que a filha adolescente é fruto de um relacionamento com o monarca que começou em 2004, no Rio de Janeiro, em 2004. A brasileira teria engravidado após uma viagem pela Europa. De acordo com a ação impetrada no Tribunal de Milão, ela teria informado Albert II imediatamente sobre gravidez, mas o príncipe não admitiu a paternidade.










"Quando conheci o príncipe, eu tinha 19 anos e não sabia quem ele era", contou a brasileira à agência de notícias.

Ela disse ainda que descobriu que Albert II era o príncipe de Mônaco somente depois ter se mudado para a Itália.

"Foi um choque".

Segundo a defesa, a cliente resolveu entrar na Justiça porque, ao fazer 15 anos, a filha pediu a ela para saber quem era o pai.










"Minha cliente está vivendo um momento muito delicado e importante para a vida de sua filha, que, ao fazer 15 anos, pediu para a mãe revelar quem era seu pai natural. E ela decidiu cumprir seu desejo", explicou o advogado Erich Grimaldi à Ansa.

Albert II é príncipe soberano de Mônaco desde abril de 2005, quando substituiu seu pai, Rainier III, morto no mesmo mês. Ele é casado desde 2011 com a sul-africana Charlene Wittstock, com quem tem um casal de gêmeos: o príncipe herdeiro Jacques e a princesa Gabriella. O príncipe tem também dois outros filhos anteriores ao matrimônio: Jazmin Grace Grimaldi, com a americana Tamara Jean Rotolo, e Alexandre Grimaldi-Coste, com a togolesa Nicole Coste.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad