Operação Sossego fecha mais três estabelecimentos irregulares em Itupeva - Itupeva Agora

Agora

22 outubro, 2017

Operação Sossego fecha mais três estabelecimentos irregulares em Itupeva



A força-tarefa montada em julho denominada 'Operação Sossego’ teve mais um dia de ação na noite de sexta-feira (20). Após várias reclamações de moradores sobre perturbação do sossego em estabelecimentos comerciais da cidade, três deles foram autuados e fechados após constatação de irregularidades. O trabalho de fiscalização continua e não tem prazo para ser encerrado.
No total, 10 estabelecimentos foram vistoriados na noite de sexta (20), localizados no Jardim São Vicente, Centro, Vila São João, Santa Elisa, Residencial Pacaembu, Bairro da Mina e Jardim Christiane.

As equipes formadas por funcionarios da Vigilância Sanitária, Fiscalização Tributária e da Guarda Civil Municipal de Itupeva verificaram a documentação dos comércios, produtos e autorização para realização de shows e apresentações musicais.

"Essa é mais uma ação necessária para regularizar todos os comércios de Itupeva. Além disso, atendemos as reivindicações da população de Itupeva quanto ao comércio noturno irregular e o barulho que dificulta a convivência entre o entretenimento noturno e os moradores", afirmou Celso Luiz Colletti

De acordo com informações da Secretaria da Fazenda, todos os estabelecimentos vistoriados receberam orientações sobre o horário de funcionamento, volume do som ao vivo e necessidade de isolamento acústico. Para que possam reabrir, os proprietários terão de se regularizar junto à Prefeitura. Caso não acatem essa determinação e voltem a funcionar, todos poderão ser lacrados.

Solicitações - A perturbação do sossego é uma das reclamações mais recorrentes recebidas pelos telefones 153 da GCM, 156 da Prefeitura e na Ouvidoria. Nelas os munícipes sempre relatam som alto até a madrugada, baderna e veículos estacionados sobre a calçada, entre outras irregularidades. A Operação tem como objetivo atender estas reclamações feitas pelos munícipes, inclusive com acompanhamento do Ministério Público Estadual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad