Hopi Hari e Wet'n Wild brigam por cerca que separa parques de diversões em Itupeva - Itupeva Agora

Agora

22 julho, 2017

Hopi Hari e Wet'n Wild brigam por cerca que separa parques de diversões em Itupeva

Por Roberto Donaire, Itupeva Agora

De acordo com a delegacia do município, foi registrado boletim de ocorrência de dano e ameaça entre as duas partes. Parque aquático afirma que problema começou após colocação de cerca; parque de diversões pede 'levantamento da real divisa'.

Segundo o G1 um desentendimento por conta de uma limitação de terra levou os parques Hopi Hari e Wet’n Wild à Delegacia de Vinhedo (SP). De acordo com a Polícia Civil do município, um boletim de ocorrência de dano e ameaça foi registrado na quarta-feira (19) entre as duas partes. A perícia foi acionada e um inquérito foi aberto para investigar o caso. Os dois estabelecimentos não deram detalhes sobre o que aconteceu.

O Wet’n Wild confirmou à EPTV, afiliada da TV Globo, que o problema começou por conta da divisa de um terreno de propriedade de um grupo privado, que era usado pelos dois estabelecimentos. O parque aquático afirma que colocou uma cerca no local depois de fazer uma revitalização da área, mas, segundo ele, o Hopi Hari reivindica o uso do espaço e chegou a retirar o objeto do local.

Já o parque de diversões, em nota oficial, disse que o presidente esteve no terreno por solicitação do próprio Wet’nWild e foi recebido pelo segurança do local. O estabelecimento ainda informou que se coloca “à disposição para, em conjunto com o parque aquático, realizar o levantamento da real divisa perante os órgãos competentes”. Apesar do desentendimento, o parque aquático disse, também em nota oficial, que “acredita na reestruturação do Hopi Hari para que, juntos, os dois parques continuem a proporcionar alegria e diversão”.

Crise, fechamento e inauguração

Localizado na Rodovia dos Bandeirantes (SP-348), o Hopi Hari atravessa uma grave crise financeira que culminou com o fechamento do parque no dia 12 de maio. Segundo a Prefeitura de Vinhedo, a dívida de IPTU e ISS com o município chega a R$ 65 milhões, valor contestado pelo parque na Justiça.

A atração chegou a sofrer corte de energia e teve o registro de companhia aberta suspenso pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) - não podendo mais, portanto, negociar suas ações no mercado, o que reduz a chance de captar investimentos. Em junho, a direção anunciou a reabertura para o dia 5 de agosto, com ingressos vendidos somente pela internet a R$ 150 e o retorno de atrações paradas "há anos". O número de visitantes será limitado a 5 mil por dia. Informações são do G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad