Proibição de fogos com estampido em Jundiaí é rejeitada, mas debate continua - Itupeva Agora

Agora

22 junho, 2017

Proibição de fogos com estampido em Jundiaí é rejeitada, mas debate continua


Em sessão ordinária da última terça-feira (20), na Câmara de Jundiaí, o projeto de lei que proíbe a soltura de fogos com estampido foi rejeitado por 12 votos contrários e 5 favoráveis. Além dos vereadores autores do projeto – Faouaz Taha (PSDB), Leandro Palmarini (PV), Paulo Sérgio Martins (PPS) e Rafael Antonucci (PSDB) – apenas o vereador Antônio Carlos Albino (PSB) também votou favoravelmente. Ainda houve uma abstenção. O cenário da rejeição vai na contramão de outras cidades que já proibiram a soltura dos fogos como Santos e Campinas. Diante do grande apoio popular, vereadores devem continuar o debate na cidade.

Ainda que o projeto tenha sido rejeitado, o líder de governo da Câmara Faouaz Taha celebrou a importância da noite e do texto ter chegado à votação, após amplo debate com a sociedade e maciço apoio da população.“Este foi um projeto sugerido pela sociedade. Não temos nada contra os lojistas. Infelizmente, eles vendem um produto que prejudica e as pessoas que não gostam nos procuraram. Não se trata de um projeto eleitoreiro. Ninguém acordou de um dia para noite querendo proibir os fogos. Esta é uma demanda que chegou até nós e foi discutida com dados e embasamento técnico. A audiência pública provou isso”, lembrou o vereador durante a discussão do projeto.

Ainda durante votação, foram lembrados números de enquetes feitas pela imprensa local em que uma média de 85% dos participantes se manifestaram favoráveis ao projeto de lei. No abaixo-assinado realizado pelo vereador Faouaz, mais de 2 mil pessoas demonstraram seu apoio à campanha ‘Rojão em Jundiaí não!’, que coletou diversas entrevistas e depoimentos e percorreu mais de 30 pet shops. Nas redes sociais, o apoio também ficou evidente nas páginas e postagens dos autores do projeto.

A luta continua

Passada a votação, o vereador Faouaz reforça que, embora rejeitado, o projeto levantou o debate e deu voz à população. “Esta mobilização é vitoriosa. Iremos continuar a discussão, manter o abaixo-assinado e as postas abertas e, futuramente, pensar em uma nova tentativa. Temos que respeitar a decisão dos vereadores, pois a Casa de Leis é democrática, mas não vamos desistir”, disse.

Aos interessados, o abaixo-assinado on-line está disponível no link:



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad