Mulher dá a luz no sofá de casa após hospital mandá-la embora por quatro vezes em Campo Limpo Paulista


Letícia Borges da Silva, de 24 anos, procurou hospital com dores e dilatação, mas foi liberada. Prefeitura informou que o caso está sendo apurado pela Secretaria de Saúde.

Foi no sofá de casa que Letícia Borges da Silva, de 24 anos, deu a luz à bebê Maria Clara. Ela, que estava grávida de 40 semanas, procurou o Hospital das Clínicas de Campo Limpo Paulista (SP) quatro vezes no fim de semana achando que o nascimento da filha estava próximo. Mas, em todas a vezes, os médicos disseram que ainda não era hora e mandaram ela de volta para casa. Na última vez que Letícia foi até o hospital, menos de 10 horas antes do parto, as contrações já haviam aumentado e a dilatação também, mesmo assim a orientação foi para que ela que voltasse outro dia. A prefeitura informou que o caso está sendo criteriosamente apurado pela Secretaria de Saúde.

A dona de casa Maria Lúcia Nunes Borges da Silva - mãe de Letícia - foi quem levou a filha todas as vezes até o hospital.

"Porque ela estava com dor. Chegou lá [no hospital] e o médico disse que ela estava com dois dedos de dilatação, que era para ela ir para casa que até segunda-feira nascia. Se não nascesse na segunda, na terça eles iam fazer cesariana nela. Aí liberaram ela e mandaram ir embora para casa", conta Maria Lúcia.

Com 46 centímetros e pouco mais de 3 quilos, Maria Clara nasceu na sala de casa. Uma foto mostra a menina já enrolada no cobertor e nos braços da mamãe Letícia. O registro foi feito minutos depois do parto.

Quem ajudou a Letícia a dar a luz foi o irmão dela. Ele tem 21 anos e disse que nunca tinha visto um parto em toda a vida. Era por volta das 4h quando a irmã ligou no celular dele pedindo ajuda.
"Minha mãe começou a gritar dizendo que a bolsa tinha estourado. Você já fica em choque sem saber o que fazer. Já pedi para ela deitar aqui mesmo onde está o sofá. As roupas dela eu tirei e quando olhei a neném já estava vindo. Aí eu tirei a blusa, dei o braço para ela e 'faz força, faz força'", lembra Henrique Borges da Silva.

Depois do parto, a família chamou a ambulância que levou mãe e filha até o hospital onde o parto deveria ser realizado. Elas estão internadas, mas passam bem. Em nota, a Prefeitura de Campo Limpo Paulista também ressaltou que os procedimentos adotados pelo hospital e pelos médicos responsáveis no atendimento de Letícia Borges da Silva e de sua filha estão sendo analisados.

Fonte: G1

0 comentários: